Educação

Escolas particulares de Pernambuco não terão aulas nos dias de Carnaval

Decisão foi tomada em reunião entre os sindicatos dos colégios e dos professores. Nas redes públicas do Estado e de cidades como Recife e Olinda, não há definição.

Sala de aula de escola particularSala de aula de escola particular - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Mesmo com o cancelamento do Carnaval, que não terá nem o ponto facultativo nas repartições públicas do Estado, as escolas particulares de Pernambuco decidiram manter a suspensão das aulas nos dias correspondentes à festividade, entre 25 de fevereiro e 1º de março.

Na rede pública estadual, não há uma definição sobre o assunto por parte da Secretaria de Educação. Já entre os municípios da Região Metropolitana, algumas prefeituras ainda discutem o tema enquanto, em outras cidades, as unidades de ensino continuarão a funcionar em formato remoto.

Assim como em 2021, quando o feriado também foi suspenso e os colégios privados não abriram as portas no período, a decisão foi tomada em reunião realizada nesta quarta-feira (9) entre o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Pernambuco (Sinepe-PE), que representa os donos das escolas, e o dos Professores do Estado de Pernambuco (Sinpro-PE). A rede particular conta, ao todo, com cerca de 420 mil estudantes matriculados em todas as regiões do Estado.

Convenção e calendário

Na última terça-feira, antes da reunião, o Sinpro-PE já tinha divulgado uma nota em que dizia que a medida tomada pelo Governo do Estado de decretar ponto facultativo não afetaria o calendário letivo, que previa a paralisação nos dias de Carnaval conforme a convenção coletiva de trabalho firmada entre a categoria docente e a patronal.

“De acordo com a cláusula Quadragésima Quarta, a segunda, terça e quarta-feira de Carnaval continuam como feriado [...]. É válido ressaltar que a manutenção desses dias, não implicará em prejuízos à carga horária e aos dias letivos das escolas. O descumprimento da normativa incidirá em multa à instituição”, concluía o texto.

Também por nota, o Sinepe-PE afirmou que a decisão do Governo abria a possibilidade de abertura das escolas, mas concordou com a folga para não modificar o calendário combinado anteriormente.

“Não temos dúvida de que esse argumento não se aplica ao caso, posto que, tendo sido o feriado cancelado para o ano em curso – não pode haver direito sobre algo que não mais existe. Diante desta situação, levamos a definição do Governo ao nosso Comitê de Crise [...] e convergimos para o entendimento de que, como os calendários de todas as nossas escolas, elaborados dentro do que prevê a legislação educacional vigente, já foram devidamente comunicados aos alunos e suas famílias, não haveria razão maior para alterá-lo no momento”, informou.

Rede pública

Procurada, a Secretaria de Educação de Pernambuco disse que ainda não definiu se as escolas estaduais, que retomaram as atividades presenciais na semana passada, vão abrir ou não no período. No Recife, a Secretaria Municipal de Educação também informou não ter uma posição sobre o assunto, visto que, até o momento, não houve suspensão do ponto facultativo na cidade.

Em Olinda, a prefeitura ainda vai tomar uma decisão, mas a tendência é que as escolas funcionem normalmente. Já em Jaboatão, Camaragibe e Paulista, as unidades seguem em regime de ensino remoto, e os encontros on-line estão mantidos.

Veja também

Mais de 160 migrantes são resgatados no Canal da Mancha rumo ao Reino Unido
Mundo

Mais de 160 migrantes são resgatados no Canal da Mancha rumo ao Reino Unido

Recife dispensa agendamento em quatro pontos de testagem para Covid-19; saiba onde
Coronavírus

Recife dispensa agendamento em quatro pontos de testagem para Covid-19; saiba onde