Vida Plena

Escrever à mão, um ato de grande valia para saúde

Prática estimula vários circuitos neurais, influenciando direta e positivamente no nosso cérebro

Escrever à mão facilita a memorização tanto em crianças como também em adultosEscrever à mão facilita a memorização tanto em crianças como também em adultos - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Na correria do dia a dia, costumamos buscar e optar por soluções mais práticas. No entanto, existem alguns hábitos que, mesmo exigindo um pouco mais do nosso tempo, são muito importantes para a nossa saúde. Um deles é um ato bem simples, mas que influencia direta e positivamente no nosso cérebro: escrever à mão.

Atividade que é ensinada desde a infância, utilizar a mão para escrever parece não exigir muito esforço nosso. Mas, de acordo com neurologista Cláudio Falcão, do Hospital Jayme da Fonte, a atividade é bastante complexa do ponto de vista da atividade cerebral.


(PODCAST) Canal Saúde - Por que escrever à mão torna crianças (e adultos) mais inteligentes?

Folha de Pernambuco · 21.04.21 - Canal Saúde - Por que escrever à mão torna crianças (e adultos) mais inteligentes?

"Escrever à mão envolve vários circuitos neuronais, incluindo o tato, a motricidade, a coordenação motora, a sensibilidade e a visão. Esses circuitos apresentam efeitos diretos na memória recente, que é a gravação imediata de uma informação, e na memória secundária, que é uma gravação mais definitiva", explicou Cláudio.

Uma pesquisa da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia apontou a relação entre a memória e a escrita à mão. Segundo o estudo, utilizar o método tradicional de copiar uma matéria - com lápis ou caneta e papel - facilita a memorização do conteúdo bem como a sua aprendizagem, tanto em crianças como também em adultos.

Benefícios da escrita à mão para o cérebro

Jornalista e tarólogo, Gustavo Teixeira Alves, 25, descobriu na escrita um poderoso método de estudo. Após anos tentando encontrar a melhor maneira de fixar um conteúdo, foi escrevendo os resumos a próprio punho, que ele conseguiu um melhor rendimento. 

"Foram tentativas e erros até encontrar o melhor método de aprender, de fato, as matérias. Já havia tentado só a leitura, depois tentei só a escuta, mas nada disso parecia suficiente. Foi quando comecei a fazer os resumos, e o processo de anotar as coisas no papel mescla a leitura e a escuta", disse Gustavo. "Além disso, eu tenho uma memória visual mais aguçada, então quando eu escrevo, acabo visualizando o que coloquei no papel na mente, e isso ajudava a gravar e a aprender o que era preciso", complementou.

Quem também notou os benefícios da escrita à mão foi Lin Mei Chian, artista e praticante de lettering há seis anos. "Sempre tive dificuldade com acentuação gráfica de algumas palavras, e isso tem ajudado muito no dia a dia, porque você acaba memorizando. O benefício é notório", afirmou.

O neurologista Cláudio Falcão também disse que ainda não há uma confirmação científica que relacione a prevenção de doenças cerebrais a partir da escrita à mão. Contudo, o especialista reforça que, assim como outras atividades que estimulam o cérebro, mantendo-o saudável, a escrita ajuda a retardar o surgimento e também a minimizar a progressão de doenças, como o Alzheimer.

vida plena

#vidaplenajaymedafonte

Veja também

Defesa civil dos municípios da RMR registram ocorrências por conta das chuvas
Chuvas

Defesa civil dos municípios da RMR registram ocorrências por conta das chuvas

Testes de anticorpos após vacina contra Covid-19 são incapazes de garantir a eficácia do imunizante
Coronavírus

Testes de anticorpos após vacina contra Covid-19 são incapazes de garantir a eficácia do imunizante