A-A+

Especialistas vão examinar navio sob quarentena no Japão

Mais de 130 pessoas a bordo do navio cruzeiro foram diagnosticadas com o novo coronavírus

Navio cruzeiro "Diamond Princess" na costa de YokohamaNavio cruzeiro "Diamond Princess" na costa de Yokohama - Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP

Uma equipe de especialistas em doenças contagiosas no Japão vai pesquisar a situação no navio de cruzeiro atingido pelo surto de coronavírus para evitar que a doença se espalhe ainda mais. Até a segunda-feira (10) mais de 130 pessoas a bordo do Diamond Princess, que está ancorado no Porto de Yokohama, foram diagnosticadas com o novo coronavírus e hospitalizadas.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão recomenda que os cerca de 3.600 passageiros e tripulantes que ainda estão a bordo devem, em princípio, permanecer em suas cabines durante o período de duas semanas de quarentena que teve início no dia 5 de fevereiro.

A Sociedade Japonesa para Prevenção e Controle de Infecções, composta de especialistas em doenças contagiosas, decidiu enviar na terça-feira (11) uma equipe ao navio para a realização de uma pesquisa de campo.

Leia também:
Operadora de navio em quarentena afirma que vai reembolsar passageiros
China registra mais de 1.000 mortes pelo novo coronavírus
Brasil investiga sete casos suspeitos do novo coronavírus

Os membros da equipe são especializados em controle de doenças contagiosas em centros de evacuação e outros locais atingidos por desastres. Eles vão estudar as condições dos passageiros que se encontram a bordo e certificar-se de que estão adotando medidas básicas de higiene, como desinfetar as mãos.

A sociedade acrescentou que vai recomendar medidas preventivas essenciais à companhia que opera o navio, funcionários do Ministério da Saúde e outras autoridades, com base nos resultados do levantamento.

Veja também

Veja como está a vacinação contra a Covid-19 no Brasil
Vacinação

Veja como está a vacinação contra a Covid-19 no Brasil

Seu pet come cocô? Entenda o que é a coprofagia
Folha Pet

Seu pet come cocô? Entenda o que é a coprofagia