TUBARÃO

Esposa de homem mordido por tubarão em Olinda detalha nova rotina e cita saudade dos filhos

Pernambuco agora acumula 75 incidentes com tubarão, sendo 10 na Ilha de Fernando de Noronha

Ele teve que passar por uma cirurgia de cinco horas de duração e segue sem previsão de altaEle teve que passar por uma cirurgia de cinco horas de duração e segue sem previsão de alta - Foto: Arquivo pessoal

Esposa de André Sthwart Luiz Gomes da Silva, mordido por um tubarão em Olinda na última segunda-feira (20), Munick Rafaela Castro conversou com a reportagem da Folha de Pernambuco e trouxe detalhes de como está a vida da família uma semana após o acontecimento, citando a saudade dos filhos e o revezamento na hora da troca de visitas. A mulher também disse que o local do incidente é “esquecido” pelos órgãos públicos. 


André Luiz tem 32 anos, trabalha como montador de andaime e surfava na praia dos Milagres, em Olinda, quando foi surpreendido com uma mordida de tubarão na perna esquerda. A prática do surf na área é proibida desde o ano de 1999. 


Quando aconteceu o incidente, ele foi retirado do mar por pessoas que estavam no local e socorrido na sequência pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que deu encaminhamento ao Hospital da Restauração, onde o homem passou por uma cirurgia de cinco horas de duração. De acordo com o último boletim divulgado pela unidade de saúde, “o paciente continua internado, com quadro de saúde estável, na enfermaria de cirurgia vascular”. 


André Luiz segue sem previsão de alta hospitalar. E Munick se une ao cenário. “Confesso que se eu pudesse só sairia daqui na alta dele”, disse a esposa, que vem revezando os horários para visitação com os sogros e as irmãs de André Luiz.


A notícia de que não será preciso amputar o membro afetado pela mordida foi comemorada pela família, que segue esperançosa. “Agradecemos a Deus por tudo. A vida do meu esposo é um milagre e a nossa fé está inabalável, com certeza”, garantiu.


Parte dessa esperança vem dos cinco filhos do casal, que têm entre três e 12 anos. “Os meninos ligam todos os dias, e eu estou tentando conciliar entre ele aqui e as crianças, até porque elas já estão sentindo a falta do pai e não posso me ausentar tanto deles”, disse emocionada. 


Área proibida


Munick Rafaela revelou que a família costumava frequentar a praia dos Milagres, em Olinda, e que surfar por lá não era uma novidade para o esposo, apesar da área ser proibida para a prática. Sobre isso, ela classificou o local como “esquecido” pelos órgãos públicos.


“Ele surfa ali há mais ou menos cinco ou seis anos e a nossa família inteira frequentava a praia naquela região. Não existe nenhuma informação ali, e se fosse realmente proibida, não teriam moradias nem estaria tendo 'paredões' até mesmo na época da pandemia da Covid-19. Todo mundo confiava até acontecer. Na verdade, não é proibida, é esquecida”, disse Munick.


Incidentes em números


Com o caso de André Luiz, Pernambuco alcançou a marca dos 75 incidentes envolvendo tubarão desde 1992. Desse total, 10 aconteceram na Ilha de Fernando de Noronha.


 

Veja também

Palestinos correm para o mar após ajuda humanitária cair de avião em Gaza
MUNDO

Palestinos correm para o mar após ajuda humanitária cair de avião em Gaza

Assaltante dá "voadora" em homem para roubar celular em Caruaru
AGRESTE

Assaltante dá "voadora" em homem para roubar celular em Caruaru