EUA

Estado de Nova York suspende obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados

A obrigação do uso de máscaras será mantido, no entanto, até março nas escolas, lares de idosos, centros sociais e prisões

Pessoas caminham com máscaras de proteção na Times Square Pessoas caminham com máscaras de proteção na Times Square  - Foto: Johannes Eisele / AFP

O estado de Nova York, epicentro da pandemia de Covid-19 em 2020, anunciou oficialmente nesta quarta-feira (9) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços fechados, dada a queda acentuada de casos e em consonância com o anúncio de outros estados governados por democratas.

O quarto estado mais populoso do país, com quase 20 milhões de habitantes e quase 9 milhões deles em Nova York, não renovará a imposição da máscara em lojas, restaurantes e empresas quando expirar, nesta quinta-feira, anunciou a governadora Kathy Hochul. 

A obrigação do uso de máscaras será mantido, no entanto, até março nas escolas, lares de idosos, centros sociais e prisões. A partir de agora, caberá aos municípios e comércios determinar a seguir se vão exigi-la de seus funcionários e clientes, disse Hochul à imprensa.

Os famosos musicais da Broadway, no coração de Manhattan, já deixaram claro que optam por se proteger. "Mantemos a obrigação da máscara e da vacina em todos os teatros até 30 de abril", disse à AFP Charlotte St. Martin, que preside a Liga da Broadway.

O acessório também continuará sendo obrigatória nos transportes públicos -trens, metrôs, ônibus, aeroportos- regidos pela legislação federal.

"Panorama magnífico"

Apesar de o estado e a cidade de Nova York terem sido o epicentro da pandemia em 2020, com pelo menos 38.000 mortes em dois anos só na cidade, Hochul disse que todos os indicadores de saúde estão "em queda". 

"É um panorama magnífico (...) Não acabamos, mas a tendência está muito, muito bem encaminhada, e por isso agora estamos considerando uma nova fase da pandemia", disse a governadora democrata.

O uso da máscara sempre foi muito respeitado pelos nova-iorquinos, muito traumatizados pela epidemia: não só é obrigatório dentro de locais fechados, mas a maioria das pessoas a usa na rua.

Em todas as lojas, restaurantes e museus, além da máscara, é exigido o certificado de vacinação acompanhado de um documento de identidade.

O estado de Nova York somou-se a outros governados pelo Partido Democrata que anunciaram medidas idênticas de abandono da obrigatoriedade das máscaras a partir da segunda-feira, como Califórnia, Nova Jersey e, inclusive, Connecticut. 

Distintivo político

O uso de máscaras para evitar o contágio pela Covid-19 é um marcador político muito forte nos Estados Unidos, onde a obrigatoriedade de cobrir o rosto é considerada uma violação das liberdades individuais por grande parte da direita e do Partido Republicano. 

Nunca uma medida deste tipo esteve em vigor em estados governados por republicanos, como Flórida ou Texas. 

Os casos de Covid-19 estão em queda livre nos Estados Unidos, com pouco menos de 250.000 contágios diários, em média, por sete dias consecutivos, segundo as autoridades sanitárias, longe do pico de 800.000 casos, alcançado em meados de janeiro.

No entanto, em 4 de fevereiro o país superou a marca das 900.000 mortes por Covid-19 em quase dois anos, segundo a Universidade Johns Hopkins. A média de mortes diárias continua acima de 2.000.

A nível nacional, de momento mantém-se a obrigatoriedade da máscara, embora "chegará o dia em que a Covid deixará de perturbar o nosso cotidiano", disse o coordenador do combate à Covid-19 da Casa Branca, Jeffrey Zients, na quarta-feira.

Veja também

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle
Família real

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid
Negacionismo

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid