Estados criam painel paralelo para divulgar dados de Covid-19

Desde a noite de sexta-feira, o Ministério da Saúde não mais informa o total de mortes e nem o total de casos confirmados da Covid-19 durante a pandemia

Teste de coronavírusTeste de coronavírus - Foto: Tarso Sarraf/AFP

A decisão do Ministério da Saúde de alterar a forma como divulga os dados da Covid-19 motivou o Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde) a elaborar um painel próprio de informações, reunindo dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo federal. Os primeiros dados foram informados na noite deste domingo (7).

O painel aponta que, nas últimas 24 horas, foram registrados 30.164 novos casos da doença e 1.113 mortos. A atitude faz parte de uma reação de especialistas, políticos e integrantes do Judiciário contra as ameaças do governo Jair Bolsonaro de manipular e omitir dados da pandemia.

Leia também:
Pernambuco registra 881 novos casos de Covid-19 e 35 mortes, nas últimas 24h
Covid-19: Pernambuco zera fila de pacientes para UTI


Criticado há meses pela inação e pelos ataques ao sistema de distanciamento social defendido por quase todo o mundo e por quase todos os especialistas, Bolsonaro anunciou no fim de semana uma nova metodologia de compilação e divulgação de dados. Desde a noite de sexta-feira, o Ministério da Saúde não mais informa o total de mortes e nem o total de casos confirmados da Covid-19 durante a pandemia. O portal do Ministério da Saúde com as informações consolidadas saiu do ar na noite da sexta-feira (5), e só retornou na tarde de sábado (6), mostrando apenas os números registrados no último dia.

A divulgação dos dados também passou a ser feita por volta das 22h e não mais no final da tarde, como era praxe durante a gestão de Luiz Henrique Mandetta.
O painel que o Conass colocou no ar neste domingo segue o modelo adotado pelo Ministério da Saúde antes da guinada promovida nos últimos dias. Há o total de casos confirmados, de óbitos, o número de mortes nas últimas 24 horas e os dados separados por estados, com a taxa de letalidade de cada um deles -divisão dos casos pelo número de óbitos.

Veja também

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres
Vacinação

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres

Brasil bate a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas
Vacinação

Brasil bate a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas