Vacina contra Covid-19

Estados poderão vacinar nesta segunda, diz Pazuello em cerimônia de distribuição da Coronavac

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em cerimônia de distribuiçãoMinistro da Saúde, Eduardo Pazuello, em cerimônia de distribuição - Foto: Reprodução/TV Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que todos os estados brasileiros receberão as primeiras doses da Coronavac ainda nesta segunda-feira (18) até 14h e estão liberados para iniciar a campanha de vacinação no final da tarde, a partir das 17h - o cronograma inicial previa o começo para a quarta-feira (20), às 10h.

A declaração de Pazuello foi feita em cerimônia simbólica no centro de distribuição e logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos/SP. O evento marcou o início da distribuição da Coronavac para todos os estados do Brasil.

Há, ao todo, 6 milhões de doses, das quais cerca de 4,7 milhões serão repassados para 25 estados e o Distrito Federal e 1,3 milhão ficarão em São Paulo, que iniciou a imunização no domingo (17). 

"Todos, mesmo na Amazônia, receberão as vacinas hoje [segunda-feira] em voos da FAB [Força Aérea Brasileira]. Os estados poderão começar a vacinar no município principal ainda hoje, ao fim do expediente. Cada dia é importante", adiantou Pazuello.

De acordo com a Folha de S.Paulo, governadores propuseram ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, adiantar o início do processo, que a princípio ocorreria apenas a partir de quarta (20). O acordo se deu antes de evento.

O evento contou com a presença de governadores como o em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, o do Pará, Helder Barbalho, e a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, acompanhou a cerimônia do Recife. 

Ao todo, 6 milhões de doses compõem este primeiro lote do imunizante, aprovado para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em reunião no domingo (17).  A logística tem aviões e caminhões preparados para a refrigeração dos imunizantes.

Aviões da FAB e aeronaves das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass farão o transporte gratuito da vacina para as capitais brasileiras. A responsabilidade de distribuição dos imunizantes, que chegarão primeiros às capitais, passa a ser de cada estado, com apoio do Ministério da Defesa.

Pernambuco receberá 270 mil doses para iniciar a imunização, que irá priorizar, neste primeiro lote, profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados. A Coronavac é aplicada em duas doses, em intervalo de 21 dias.

"Hoje é mais um dia importante para todos nós. O Brasil conseguiu começar sua vacinação que é esse recebimento que inicia a distribuição das vacinas para os estados. Está dado o primeiro passo para o início da maior campanha de vacinação do mundo. O Brasil é e vai continuar sendo referência de vacinação", disse Pazuello na cerimônia.

Pazuello afirmou que ainda esta semana devem chegar as 2 milhões de doses da vacina de Oxford produzidas na Índia, também liberada para uso emergencial pela Anvisa no domingo.

"A vacina não determina o fim das medidas preventivas. O início da vacinação não nos desobriga a continuar com o uso de máscaras, das medidas de prevenção e de afastamento social, continuaremos vivendo desta forma até termos a pandemia controlada", alertou o ministro da Saúde.

Pazuello demonstrou agradecimento aos profissionais de saúde e respeito às famílias enlutadas. "Já perdemos mais de 200 mil brasileiros, pessoas que tinham sonhos e que jamais imaginariam passar por essa doença. Não me cansarei de agradecer a todos os profissionais de saúde deste País que já salvaram mais de 7 milhões de vidas", completou o ministro. 

Ainda segundo o ministro, o modelo de vacinação deverá continuar em 2022. "Continuaremos tomando vacina contra o coronavírus e seus variantes todos os anos. Isso vai entrar numa normalidade como é H1N1, sarampo e outras doenças", disse Pazuello.

Veja também

Brasil registra mais 1.555 mortes pela Covid-19, diz Ministério da Saúde
Coronavírus

Brasil registra mais 1.555 mortes pela Covid-19, diz Ministério da Saúde

Plantão vacina mais de 895 contra a Covid-19 em Olinda
Coronavírus

Plantão vacina mais de 895 contra a Covid-19 em Olinda