Estelionatária é presa novamente em meio a indulto de Natal

Mulher tinha deixado presídio um dia antes de cometer novo crime

Senai abriu inscrições em diversos cursosSenai abriu inscrições em diversos cursos - Foto: Divulgação

Foi presa na última quinta-feira (22), no Espinheiro, Zona Norte do Recife, uma mulher suspeita de estelionato que havia tido saída temporária concedida do sistema carcerário por conta do indulto de Natal. Viviane Assad Tomelic, fisioterapeuta, 37 anos, possui 24 processos criminais por estelionato, sendo 22 em Pernambuco e dois na Bahia, e encontra-se em regime semi-aberto, com tornozeleira eletrônica.

Segundo a Polícia Civil, Viviane teve a saída temporária decretada na quarta-feira (21) e iria retornar ao presídio no dia 30 de dezembro. Na quinta-feira (22), ela efetuou uma compra no valor de R$ 6.538 em uma loja no Espinheiro, utilizando cheque de terceiro, se identificado com um nome falso e informando ser esposa de um médico renomado do Recife. Logo após a saída da suspeita com as mercadorias, o proprietário constatou que havia sido vítima de um golpe.

A mulher foi presa em outra loja, no intuito, provavelmente, segundo a Polícia Civil, de praticar outro estelionato. Viviane foi autuada mais uma vez e aguarda audiência de custódia.

O delegado Ricardo Cisneiros comentou que Viviane já tem condenação por 17 dos 24 processos e está no sistema prisional há 12 anos. Contudo, já era beneficiária de saídas temporárias há algum tempo, e por isso pode ter aplicado outros crimes em outros indultos. Diante dessa suspeita, a polícia pede que possíveis outras vítimas busquem denunciá-la.

Cisneiros destacou que os comerciantes devem ficar atentos para conseguir identificar os estelionatários e evitar prejuízos. “Sequer foi pedido o documento de identificação para comparar com o nome que estava no cheque. Apenas ligaram para o SPC e Serasa e viram que estava sem restrição. Foi só após a compra que o proprietário desconfiou que poderia ser tratar de um golpe, mas ela já tinha saído da loja”, explicou.  

No desespero o comerciante conseguiu ligar para o consultório do suposto médico e foi informado que ele não era casado com o nome da mulher no cheque. Por sorte, uma viatura do Cordeiro passava pelo Espinheiro e ajudou o lojista a localizar a criminosa, que foi detida em flagrante.

Veja também

Brasil registra 2.616 óbitos por Covid-19 em 24h e total de mortes já ultrapassa 350 mil
Coronavírus

Brasil registra 2.616 óbitos por Covid-19 em 24h e total de mortes já ultrapassa 350 mil

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho
Henry Borel

'Se casal deu qualquer informação falsa pra mim, não fico na causa', diz advogado de Dr. Jairinho