saúde

Esteticista, construção civil: profissões ligadas a um risco até 3 vezes maior de câncer de ovário

Causa pode estar conectada à exposição a talco cosmético, amônia, peróxido de hidrogênio, pó de cabelo, fibras sintéticas, fibras de poliéster, corantes orgânicos e pigmentos e alvejantes

Cabelereiras são expostas à agentes químicos durante o trabalho Cabelereiras são expostas à agentes químicos durante o trabalho  - Foto: Freepik

Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, vincula o câncer de ovário a algumas ocupações que podem ter um risco maior de desenvolver a doença. As profissões apontadas foram cabeleireira, esteticista, trabalho com contabilidade e na construção civil, assim como assistentes de loja e vendedoras.

Exposição a agentes químicos
Publicada na revista Occupational and Environmental Medicine, a pesquisa coletou dados de 491 mulheres canadenses com câncer de ovário e os comparou aos de outras 897 mulheres sem a doença. Além disso, também foi levada em consideração quais são as possíveis exposições na rotina de trabalho a determinados agentes químicos.

Os autores descobriram que mulheres que trabalham como cabeleireira, barbeira ou esteticista apresentam um risco três vezes maior de desenvolver câncer de ovário. Assim como trabalhadoras da construção civil. Enquanto mulheres que trabalham com contabilidade por pelo menos uma década apresentam têm um risco duas vezes maior.

As costureiras apresentam 85% de chances de ter a doença, já assistentes de loja ou vendedoras têm 45%. Segundo os pesquisadores, os produtos encontrados que mais oferecem risco incluem: talco cosmético, amônia, peróxido de hidrogênio, pó de cabelo, fibras sintéticas, fibras de poliéster, corantes orgânicos e pigmentos e alvejantes.

“Observamos associações sugerindo que contabilidade, cabeleireiro, vendas, costura e ocupações relacionadas podem estar ligadas a riscos excessivos”, escreveram os autores.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter