Guerra

EUA aprovam nova ajuda militar de US$ 200 milhões para a Ucrânia

Washington já havia autorizado uma ajuda de 350 milhões de dólares em 26 de fevereiro

Presidente Joe BidenPresidente Joe Biden - Foto: Brendan Smialowski / AFP

O presidente americano, Joe Biden, aprovou neste sábado (12) uma nova ajuda de 200 milhões de dólares em equipamento militar para a Ucrânia, quando a Rússia recrudesce os bombardeios contra áreas civis.

Em um memorando dirigido ao secretário de Estado, Antony Blinken, e datado deste sábado, Biden autoriza a liberação destes recursos "em material e serviços de defesa do Departamento de Defesa", assim como em "treinamento militar", para "levar ajuda à Ucrânia". 

Depois dos fundos desbloqueados no fim de 2021, Washington autorizou uma ajuda sem precedentes de 350 milhões de dólares em equipamento militar em 26 de fevereiro, dois terços dos quais foram entregues em 4 de março, segundo um funcionário do Pentágono.
 

Este pacote de ajuda destina-se a "proporcionar urgentemente à Ucrânia as munições necessárias, mísseis antitanque Javelin e mísseis antiaéreos Stinger", explicou ao Congresso a chefe da diplomacia americana para assuntos político-militares, Jessica Lewis. 

O anúncio se segue à ameaça russa, feita neste sábado, de atacar as remessas de armas ocidentais à Ucrânia. Em entrevista à emissora de televisão Pervy Kanal, o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Riabkov, disse ter "advertido os Estados Unidos" que estes "comboios" estavam se tornando "alvos legítimos", citando os sistemas de defesa aérea portáteis e sistemas de mísseis antitanques.

Esta semana, os Estados Unidos rejeitaram uma oferta da Polônia de entregar seus caças Mig-29 ao exército americano para posterior entrega à Ucrânia, considerando que a proposta era "arriscada" e que provavelmente provocaria uma escalada russa.

O Congresso americano aprovou na quinta-feira um novo orçamento federal que inclui quase 14 bilhões de dólares em fundos para a crise da Ucrânia.

Veja também

Os possíveis candidatos para substituir Boris Johnson
Reino Unido

Os possíveis candidatos para substituir Boris Johnson

Boris Johnson, três anos turbulentos no poder
Reino Unido

Boris Johnson, três anos turbulentos no poder