Exame de Dias Toffoli para coronavírus dá negativo

Toffoli foi internado no hospital no sábado (23) para ser submetido a um procedimento cirúrgico urgente

Dias ToffoliDias Toffoli - Foto: José Cruz/Agência Brasil

O resultado do exame para coronavírus do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, deu negativo, de acordo com boletim enviado nesta segunda-feira (25) pelo Hospital DF Star, de Brasília. No entanto, o exame será repetido em breve pela possibilidade de falso negativo.

Toffoli foi internado no hospital no sábado (23) para ser submetido a um procedimento cirúrgico urgente. Horas após a cirurgia, o ministro apresentou sintomas da Covid-19 e, por isso, foi testado.

Leia também:
Dias Toffoli fica internado com sintomas de coronavírus após cirurgia
Toffoli diz que Bolsonaro dialoga com extremos e critica 'notinhas públicas'


Leia a íntegra da nota enviada pelo hospital:
"O Ministro Dias Toffoli foi internado no Hospital DF Star, no último sábado, dia 23 de maio, para ser submetido a um pequeno procedimento cirúrgico de urgência. A cirurgia ocorreu sem intercorrências. Algumas horas após, o Ministro apresentou um quadro respiratório sugestivo de fase inicial de COVID -19. Após medidas clínicas, o mesmo apresentou melhora considerável e no momento encontra-se estável e respira sem ajuda de aparelhos.

O exame específico para COVID 19 deu negativo (PCR-RT), mas será repetido pela possibilidade de falso negativo em função da janela imunológica.

Dr. Marcelo Maia
Coordenador das Unidades de Terapia Intensiva da Rede D’Or DF

Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar
Cardiologista/Intensivista
Hospital Villa Nova Star SP

Dr. Guilherme Villa
Diretor Regional da Rede D’Or DF

Dr. Luiz Lobato
Cirurgião Colorretal"

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

UE abre investigação contra Google por publicidade on-line
União Europeia

UE abre investigação contra Google por publicidade on-line

OMS alerta que vacinas estão escassas nos países mais pobres
Pandemia

OMS alerta que vacinas estão escassas nos países mais pobres