Experiente em acessos, Givanildo confessa ansiedade em colocar o Náutico na Série A

Treinador está invicto no comando do Timbu nesta Série B do Campeonato Brasileiro

São João da CarvalheiraSão João da Carvalheira - Foto: Reprodução/Derek Mangabeira

O técnico Givanildo Oliveira é o que pode se chamar de um especialista em acessos. Ao todo, ele já conseguiu subir um clube de divisão em seis oportunidades. Em cinco, colocou os times que comandava na elite do futebol brasileiro: América/MG (1997), Paysandu (2001), Santa Cruz (2005), Sport (2006) e novamente o América (2015). Além disso, também no Coelho, o comandante levou os mineiros da C para a B, em 2009. Embora com experiência de sobra, Givanildo não escondeu a ansiedade na luta para conseguir seu sétimo acesso na carreira, desta vez pelo Náutico.

“Não deixo de ficar (ansioso), até mesmo pela profissão e pelo que é o futebol. É normal isso. Mesmo com tanto tempo como treinador, acontece. Mas temos que continuar com o pé no chão, sabendo que teremos uma decisão e que precisamos ganhar o jogo”, afirmou o técnico.

O Náutico é o terceiro colocado da Série B, com 48 pontos. No sábado (15), a equipe vai encarar o Ceará, na Arena Pernambuco. Agora no G4, o desafio do Timbu é de se manter no grupo dos quatro melhores. Uma missão que, na visão de Givanildo, é menos complicada que a antiga.

“Esse ano, pelo que vi, foi mais difícil entrar no G4. Mas, claro, depois que você entra a luta passa a ser para não sair mais. Os jogos vão diminuindo e tudo continua embolado. Quanto mais jogos você ganha, mas você se aproxima da Série A”, pontuou.

A provável escalação do Náutico para o jogo terá Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Igor Rabello e Gastón; Marco Antônio, Vinicius, João Ananias e Rodrigo Souza; Rony e Bergson.

Veja também

Casos de covid-19 na Rocinha podem ser 62 vezes maiores que o oficial
Subnotificação

Casos de covid-19 na Rocinha podem ser 62 vezes maiores que o oficial

Documentos perdidos no Carnaval continuam sendo entregues em Olinda
Serviço

Documentos perdidos no Carnaval continuam sendo entregues em Olinda