Notícias

Fábrica clandestina de álcool é interditada em Paulista

Local estava em péssimas condições e era utilizado na fabricação de álcool em gel e álcool 70%, segundo a prefeitura da cidade

Fábrica estava em péssimas condiçõesFábrica estava em péssimas condições - Foto: Almir Martins/Prefeitura de Paulista

Uma fábrica clandestina de álcool foi interditada na manhã desta terça-feira (31) no bairro do Nobre, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O local estava em péssimas condições e era utilizado na fabricação de álcool em gel e álcool 70%, segundo a prefeitura da cidade. O álcool vem sendo bastante procurado nesta época de pandemia de coronavírus como um dos produtos usados para higienização de mãos e superfícies. 

A ação foi realizada de forma conjunta entre a Vigilância Sanitária e Procon do município com Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa).

Leia também:
Pernambuco confirma 87 casos de Covid-19; mortes seguem em 6
Idosa de 97 anos tem cura clínica de Covid-19 no Recife


De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária de Paulista, Edileuza Maria de Jesus, a ação foi positiva. "O proprietário informou que estava correndo atrás da documentação, mas a fábrica não possuía nenhuma autorização da Vigilância Sanitária para funcionar, atuando de forma clandestina”, disse.

O proprietário alegou que o álcool produzido na fábrica era usado apenas em restaurantes. “Encontramos também o álcool 70, que apesar de o proprietário dizer que não era vendido para farmácias, recebemos denúncia justamente de uma cliente que comprou o produto em um desses estabelecimentos”, acrescentou a coordenadora.

Foram apreendidos ao todo 2.472 litros de álcool 70% líquido, 1.230 litros de álcool 70% em gel, 1.000 litros de álcool 96% líquido, 1,5 L de essência de erva doce, e 1,4 kg de essência de cânfora.  Um furgão era utilizado de forma irregular para o transporte do material fabricado. Dez pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Paulista. Entre eles estava o dono do estabelecimento, que não quis ter o seu nome revelado.

De acordo com Edir Cordeiro, chefe do setor de fiscalização do Procon, o proprietário cometeu crimes contra o consumidor e contra a saúde. Foi lavrado um auto de infração e posteriormente será aplicada uma multa ao proprietário.

Caso a população de Paulista queira registrar algum tipo de denúncia sobre cobrança abusiva deve ligar para o telefone do órgão: (81) 3438.7839 ou encaminhar a denúncia por meio do e-mail [email protected].

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Cuba segue combatendo um gigantesco incêndio
Cuba

Cuba segue combatendo um gigantesco incêndio

Mulher é assassinada dentro de apartamento em Campo Grande
Feminicídio

Mulher é assassinada dentro de apartamento em Campo Grande