Fábrica clandestina de álcool é interditada em Paulista

Local estava em péssimas condições e era utilizado na fabricação de álcool em gel e álcool 70%, segundo a prefeitura da cidade

Fábrica estava em péssimas condiçõesFábrica estava em péssimas condições - Foto: Almir Martins/Prefeitura de Paulista

Uma fábrica clandestina de álcool foi interditada na manhã desta terça-feira (31) no bairro do Nobre, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O local estava em péssimas condições e era utilizado na fabricação de álcool em gel e álcool 70%, segundo a prefeitura da cidade. O álcool vem sendo bastante procurado nesta época de pandemia de coronavírus como um dos produtos usados para higienização de mãos e superfícies. 

A ação foi realizada de forma conjunta entre a Vigilância Sanitária e Procon do município com Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa).

Leia também:
Pernambuco confirma 87 casos de Covid-19; mortes seguem em 6
Idosa de 97 anos tem cura clínica de Covid-19 no Recife


De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária de Paulista, Edileuza Maria de Jesus, a ação foi positiva. "O proprietário informou que estava correndo atrás da documentação, mas a fábrica não possuía nenhuma autorização da Vigilância Sanitária para funcionar, atuando de forma clandestina”, disse.

O proprietário alegou que o álcool produzido na fábrica era usado apenas em restaurantes. “Encontramos também o álcool 70, que apesar de o proprietário dizer que não era vendido para farmácias, recebemos denúncia justamente de uma cliente que comprou o produto em um desses estabelecimentos”, acrescentou a coordenadora.

Foram apreendidos ao todo 2.472 litros de álcool 70% líquido, 1.230 litros de álcool 70% em gel, 1.000 litros de álcool 96% líquido, 1,5 L de essência de erva doce, e 1,4 kg de essência de cânfora.  Um furgão era utilizado de forma irregular para o transporte do material fabricado. Dez pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Paulista. Entre eles estava o dono do estabelecimento, que não quis ter o seu nome revelado.

De acordo com Edir Cordeiro, chefe do setor de fiscalização do Procon, o proprietário cometeu crimes contra o consumidor e contra a saúde. Foi lavrado um auto de infração e posteriormente será aplicada uma multa ao proprietário.

Caso a população de Paulista queira registrar algum tipo de denúncia sobre cobrança abusiva deve ligar para o telefone do órgão: (81) 3438.7839 ou encaminhar a denúncia por meio do e-mail [email protected].

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Na Cúpula do Clima, países anunciam pela 1ª vez metas capazes de conter aquecimento global
Clima

Na Cúpula do Clima, países anunciam pela 1ª vez metas capazes de conter aquecimento global

Conselho de Enfermagem apura denúncias de fraude na vacinação em São Paulo
Coronavirus

Conselho de Enfermagem apura denúncias de fraude na vacinação em São Paulo