Falta ânimo a João Paulo para encarar o 2º turno

A tese do “golpe” que João Paulo defende no Recife para se referir à queda de Dilma nem colou e nem colará

De Repente Uma FamíliaDe Repente Uma Família - Foto: Divulgação

João Paulo provou no 1º turno que é bem maior que o partido a que pertence. Com uma campanha franciscana e metade do tempo de TV em relação a Geraldo Júlio, com quem disputa o 2º turno, obteve 24% dos votos válidos. O percentual ficou aquém do que sinalizavam as primeiras pesquisas. Mas era esperado porque o Recife não é uma ilha isolada no contexto. Se o PT foi fortemente rejeitado nos grandes centros graças ao escândalo da Petrobras e ao fracasso econômico do governo Dilma, que legou ao país 12 milhões de desempregados, aqui não seria diferente. E João Paulo foi uma das vítimas desse tsunami. Todavia, 2º turno é outra eleição porque o tempo de TV dos dois finalistas é exatamente o mesmo. João Paulo parece que não se apercebeu disto e está entrando na campanha com cara de derrota antecipada. Falta uma bandeira para tentar sensibilizar ele próprio porque a tese do “golpe” nem colou e nem colará.

Raquel irá descer do muro
“Expulsa” do PSB pelo comando regional do partido, Raquel Lyra abrigou-se no PSDB, virou candidata a prefeita de Caruaru e está no 2º turno com Tony Gel (PMDB). Mas nunca falou mal da Frente Popular nem do governador Paulo Câmara. Era como se sentisse saudade do seu ex-partido. Agora, porém, que o PSB decidiu apoiar seu adversário, ela deve descer do muro e assumir-se como oposição.


Espaço > O aviso dado por Lula Cabral (PSB), prefeito eleito do Cabo de Santo Agostinho, de que não apoiará a reeleição de Paulo Câmara se Raul Henry for mantido na vaga de vice, é um dos primeiros sinais (outros virão) de que, ao contrário do que pensam os “sábios” palacianos, não cabe todo mundo de um lado só.

Apoios > Do vereador não reeleito Arlindo Siqueira (PSL) sobre o 2º turno, em Olinda, entre Antonio Campos (PSB) e Lupércio (SD): “Tonca está em busca de apoio de personalidades e Lupércio, do povo”.

Lamento > O senador Armando Monteiro lamentou a derrota do PTB em muitas cidades, mas a que mais o surpreendeu foi a de Limoeiro, onde o prefeito Tiago Cavalcanti perdeu para o tio, Joãozinho (PSB).

Vitória > Após dois insucessos para deputado estadual, o gaúcho Vilmar Capellaro (PMDB) elegeu-se prefeito de Lagoa Grande na trilha do também gaúcho Jorge Garziera, que foi prefeito duas vezes.

Sentença > Difundiu-se muito em Surubim, nessas eleições, frase atribuída ao ex-deputado Monsenhor Ferreira Lima: “Os ‘Farias’, enquanto vida tivessem, jamais chegariam à prefeitura. Sizino Ferreira Lima, parente do monsenhor, negou a paternidade da frase e Ana Célia Farias (PSB) é a prefeita eleita.

Pólo > O ministro Bruno Araújo é o 2º pólo de poder hoje em PE, graças ao ministério que comanda (Cidades). Pode até fazer um “governo paralelo” como Eduardo Campos fez em 2005 quando era ministro de Ciência e Tecnologia, visando à disputa pelo governo estadual em 2018. Resta saber se terá coragem.

Vanguarda > RN foi o Estado do Brasil que elegeu o maior número de prefeitas no 1º turno: 47 (28,14%). Os homens totalizam 120. Dentre as eleitas destaca-se Rosalba Ciarlini, que ganhou em Mossoró pela 4ª vez após ter sido senadora e governadora. Aliás, nasceu no RN a 1ª prefeita do Brasil: Alzira Soriano (Lajes). O Estado já elegeu duas mulheres governadoras: a própria Rosalba e Vilma Faria. Pernambuco nunca elegeu e nem tem perspectiva.

 

Veja também

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021
carnaval

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França