Falta de recursos e apoio popular travam a ciência

Se falta verba para áreas como a de saúde e segurança, fica difícil apoio popular para o restante. Pesquisadores precisam se aproximar mais da sociedade

Projeto ameaçado realiza pesquisas em áreas como oceanografia, biologia, glaciologia e meteorologiaProjeto ameaçado realiza pesquisas em áreas como oceanografia, biologia, glaciologia e meteorologia - Foto: Reprodução/Pixabay

As atividades científicas do Programa Antártico Brasileiro (Proantar) estão à beira de um colapso. O motivo? Cortes orçamentários no Ministério da Ciência e Tecnologia. Pesquisadores do programa enviaram carta ao ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, avisando do risco. Em resposta, a pasta – que financia trabalhos científicos na estação - informou que irá liberar R$ 7 milhões para os próximos três anos. De acordo com os cientistas, esse valor é suficiente apenas para um ano.

A falta do investimento mínimo necessário para o andamento da ciência brasileira já foi noticiada inúmeras vezes por esta coluna @tech. A gravidade dessa retração vai muito além de pesquisadores sem recurso. Ela alcança o nosso futuro, nossa independência enquanto Nação. O Proantar - com pesquisas em áreas como oceanografia, biologia, glaciologia e meteorologia - é apenas um entre tantos outros projetos mantidos na corda bamba.

Junte a falta de recursos à crise vivida por todos os setores e, a isso, a falta de cobrança de quem não acompanha o mundo científico, suas descobertas e evoluções. Afinal, se falta para a saúde e segurança, fica difícil apoio popular para o restante. A comunidade científica também precisa se aproximar da sociedade numa linguagem mais acessível. E nunca é demais lembrar que, sem pesquisa, estamos fadados a continuar vivendo à margem dos países que levam o seu futuro a sério.

Mercado mais maduro
Entre outubro e dezembro de 2017, foram vendidos no Brasil 1,2 milhão de tablets, 2% a menos do que no mesmo período de 2016. Segundo a IDC, o mercado fechou o ano com 3,79 milhões de unidades vendidas. Especialistas avaliam o cenário como de consolidação do mercado, onde marcas saíram de cena e quem ficou está mais focado e com estratégias mais agressivas.

EMPREENDER NA WEB > Recife recebe, no dia 26 de maio, o curso itinerante Como montar seu projeto digital, ministrado pela consultora de negócios digitais Ivone Rocha e pela jornalista Naia Veneranda, pós-graduada em gestão digital e especialista em comunicação empresarial. Será no Mar Hotel, em Boa Viagem. Inscrições pelo https://bit.ly/Be0lRR/.

Leia também:
Quando a ignorância é (re)batizada de opinião
Uso de eletrônicos antes de dormir pode deixar usuários mirins doentes
Internet no Brasil segue na contramão do mundo
Jovens cientistas: prêmio volta, mas é preciso mais


PÓS NO CESAR SCHOOL > O prazo para inscrições para os cursos de pós-graduação em Design de Interação para Artefatos Digitais; Tecnologia, Inovação e Inteligência; Desenvolvimento de Aplicações Móveis; Segurança da Informação em Engenharia de Software; Gestão Ágil de Projetos e Testes Ágeis da CESAR School terminam na próxima sexta-feira (30). As inscrições, que custam R$ 50, podem ser feitas pelo www.cesar.school.

OPORTUNIDADE > O IEL está selecionando profissionais para o Programa Inova Talentos. As vagas são para mestres nas áreas de design e de engenharia de software que tenham, no mínimo, quatro anos de titulação e experiência de mercado. Os interessados devem passar e-mail para [email protected] com o título ‘Curso - Titulação/InovaTalentos’.

Veja também

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana
Mariana

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana