Pandemia

Pernambuco vai ganhar centro para ajudar no isolamento de pacientes da Covid-19

Iniciativa foi projetada pelo Todos Pela Saúde, do Itaú Unibanco

Espaço está sendo equipado para começar a receber pacientesEspaço está sendo equipado para começar a receber pacientes - Foto: Marcelo Vidal/SDSCJ

Na próxima segunda-feira (20), será inaugurado em Pernambuco o primeiro centro de acolhimento da iniciativa Todos Pela Saúde, lançada pelo Itaú Unibanco, para pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. A estrutura funcionará no espaço do Centro Social e Urbano (CSU) localizado no bairro da Imbiribeira (Rua Manoel Serafim Couto, s/n), que teve as atividades paralisadas e estava fechado por causa da quarentena. O local foi adaptado e atenderá aos moradores da comunidade próxima que forem encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A capacidade é para receber até 100 pessoas. 

A intenção do centro de acolhimento é possibilitar aos moradores contaminados o isolamento social, de forma que o vírus não se espalhe na comunidade, o que é fundamental para combater a disseminação do novo coronavírus, diminuindo o surgimento de novos casos e, por consequência, a demanda sobre o sistema de saúde. 

Nesse espaço, os residentes, explica a iniciativa, terão o apoio de assistentes sociais, cuidadores e acompanhamento médico via telemedicina. Também receberão cinco refeições por dia, preparadas por fornecedores locais - com geração de renda para a comunidade -, e roupas obtidas por doações. 

O projeto está sendo realizado em conjunto com a organização Centro de Prevenção às Dependências (CPD), com apoio da Secretaria Estadual de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude e Secretaria Municipal de Saúde. O Todos pela Saúde foi responsável por aportar recursos para a adequar o espaço, e o Governo do Estado será responsável pela administração do centro.

De acordo com Claudia Politanski, vice-presidente do Itaú Unibanco, além de apoiar as comunidades em um momento em que o isolamento social é fundamental, as adaptações feitas nos espaços públicos escolhidos para o acolhimento temporário deixarão um legado após a pandemia. 

"Estamos reformando banheiros, refeitórios, cozinhas e áreas de convivência para que esses espaços, em um futuro próximo, possam ser bem aproveitados por alunos e colaboradores. O fato de os centros de acolhimento estarem espalhados em diferentes estados brasileiros também poderá inspirar o poder público a realizar iniciativas semelhantes em comunidades de todo o País."

O centro de acolhimento do CSU é um dos oito que estão sendo abertos pelo Todos Pela Saúde no Brasil. Também receberão espaços assim Alagoas, Paraíba, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio de Grande do Sul. O projeto tem o objetivo de oferecer até 1.685 leitos, com um investimento total de R$ 30 milhões.

O Todos Pela Saúde é uma iniciativa do Itaú Unibanco, administrada por um grupo de especialistas da área da saúde, liderados pelo médico Paulo Chapchap, diretor-geral do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo. Desde abril, eles trabalham em consonância com as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), em contato com os gestores de todos os estados da federação. As ações buscam priorizar as áreas do País mais afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Além dos centros de acolhimento, o Todos Pela Saúde já distribuiu 90 milhões de Equipamentos de proteção Individual (EPIs) entre os profissionais de Saúde que atuam no SUS e 14 milhões de máscaras de tecido - de um total de 20 milhões encomendadas - com a população em geral, idosos residentes em asilos e presidiários. Foi realizada ainda a compra de 20 ventiladores artificiais, necessários para habilitação de leitos de UTI. 
 

Veja também

Bolsonaro terá 15 dias para pagar R$ 2.600 após perder ação para Jean Wyllys
PROCESSO JUDICIAL

Bolsonaro terá 15 dias para pagar R$ 2.600 após perder ação para Jean Wyllys

Homens que ameaçaram jovem negro em shopping do Rio são identificados como PMs
Agressão

Homens que ameaçaram jovem negro em shopping do Rio são identificados como PMs