Notícias

Familiares e amigos protestam por liberdade de preso no caso Mário Gouveia

Segundo o grupo, o caseiro Rodrigo Gomes da Silva é inocente e não tem relação com a morte do empresário

Grupo protesta pela liberdade do caseiroGrupo protesta pela liberdade do caseiro - Foto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

Familiares e amigos do caseiro Rodrigo Gomes da Silva realizaram um protesto na manhã deste domingo (28), no bairro de Passarinho, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

O caseiro é suspeito de participação no assassinato do empresário Mário Gouveia, ocorrido na última terça-feira (23), em Aldeia, em Paudalho, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Eles afirmam que Rodrigo é inocente, e pedem a liberdade do jovem. O protesto contou com dezenas de amigos e familiares, que levaram cartazes e camisas com fotos do caseiro.

Leia também:
Dono do Parque Aquático Águas Finas, em Aldeia, é morto em assalto
Seguranças do Parque são suspeitos pela morte do empresário Mário Gouveia

Houve também pessoas montadas a cavalo, um dos passatempos do suspeito. De acordo com a tia de Rodrigo Lucelena Gomes, ele era apenas caseiro da granja e não tinha acesso à casa onde foram encontradas as armas. "Se ele foi pego no trabalho, sem armas em mão, porque estão acusando ele?", afirma. O grupo ateou fogo em pneus e fechou a via por cerca de 30 minutos.

Rodrigo teve a prisão preventiva decretada na última quinta-feira (25) pelo juiz Iarly José de Holanda. Além dele, são suspeitos pelos crimes de tráfico de drogas, associação criminosa e porte ilegal de armas de fogo de uso restrito Cícero Romão Henrique da Silva, Luciano Josuel de Santana e Leonardo Nascimento Silva.

O crime
O assassinato de Mário Cavalcanti Gouveia Filho, 79 anos, ocorreu por volta de 1h30 da madrugada da última terça-feira (23), quando um bando que seria formado por 15 a 20 homens invadiu o Parque Aquático Águas Finas, no quilômetro 17 da Estrada de Aldeia, em Paudalho, onde estava localizada a casa do empresário, dono do estabelecimento.

Em duas Fiat Toro, o grupo invadiu o local e roubou nove armas que faziam parte da coleção pessoal de Mário, além de um baú. O empresário estava com dois cozinheiros e com a esposa no momento em que foi alvejado. Mário Gouveia Filho, que teria reagido ao assalto, ainda foi socorrido pelo piloto, que também morava numa casa na propriedade, e levado no helicóptero particular do empresário para o Hospital Português, no Recife, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu por volta das 3h da madrugada da terça.

A ação, segundo informações da Polícia Militar de Pernambuco (PM), tinha o objetivo de levar uma coleção de armas da vítima, além de dinheiro. À noite do mesmo dia, um dos suspeitos do latrocínio (roubo seguido de morte) morreu após passar ser levado a hospitais, ferido à bala na perna e no abdômen.

Veja também

"Que o Brasil continue nesse movimento de solidariedade", diz o padre Fábio de Melo
PENTECOSTES DE PAZ

"Que o Brasil continue nesse movimento de solidariedade", diz o padre Fábio de Melo

Moraes rejeita pedido para soltar Rivaldo, apontado como mentor do assassinato de Marielle
Investigação

Moraes rejeita pedido para soltar Rivaldo, apontado como mentor do assassinato de Marielle

Newsletter