Famílias ocupam prédio do Incra no Recife para reivindicar Reforma Agrária

Grupo espera ser atendido pelo superintendente do órgão para reivindicar a resolução dos conflitos agrários nas comunidades e desapropriação dos imóveis

Sede do Incra no RecifeSede do Incra no Recife - Foto: Clélio Tomaz/Arquivo Folha de Pernambuco

Famílias de comunidades camponesas em situação de conflito em Pernambuco ocupam as dependências do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), localizado na avenida Rosa e Silva, no bairro dos Aflitos, Zona Norte do Recife, na manhã desta segunda-feira (3).

O grupo espera ser atendido pelo superintendente do órgão para reivindicar a resolução dos conflitos agrários nas comunidades e desapropriação dos imóveis para a Reforma Agrária. Os ocupantes representam 433 famílias de comunidades localizadas na Região Metropolitana do Recife, na Zona da Mata Norte e Sul e no Sertão do Estado

Leia também:
TCU revoga medida cautelar que paralisava reforma agrária no país
Integrantes do MST fazem protesto na sede do Incra, no Recife


Estes assentamentos, segundo a Comissão Pastoral da Terra, vivem situações de risco de expulsãoameaças de morte e intimidações. Entre os principais apelos das comunidades ao Incra estão a vistoria e a aquisição de recursos para garantir a desapropriação dos imóveis.

Veja também

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco
Coronavírus

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco
Coronavírus

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco