Farmácia do Estado beneficia mais de 2 mil pessoas com entrega em domicílio

Serviço está disponível desde abril e vem sendo ampliado. Instituição também permite que portadores busquem medicamentos no lugar de pacientes de grupos de risco para Covid-19.

Medicamentos. Medicamentos.  - Foto: Pixabay

Pacientes que dependem de remédios de uso contínuo e que se enquadram em um dos grupos com maior risco de contrair a forma grave da Covid-19 podem receber remédios em casa pela Farmácia do Estado. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o serviço, que contempla os usuários residentes no Recife e na Região Metropolitana, já beneficiou 2.300 pessoas desde que foi implantado, em abril. Por dia, são realizadas, em média, 130 entregas.

A iniciativa é realizada com o intuito de evitar aglomerações e filas nas unidades físicas da instituição, diminuindo a possibilidade de contágio pelo novo coronavírus. Atualmente, a entrega de medicamentos em domicílio contempla pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, asma grave, Alzheimer, artrites, lúpus e esclerose.

Também são distribuídos remédios para quem passou por algum transplante ou sofre transtornos de saúde mental. Segundo a SES, pacientes com glaucoma e doença de Parkinson também começaram a ser incluídos no programa. O próximo grupo a ser contemplado é o das pessoas com hepatites.

Leia também:
Pernambuco segue protocolos nacionais para uso de cloroquina e hidroxicloroquina
Ministério lança serviço de atendimento psicológico para profissionais da saúde


Para receber o medicamento, é preciso estar cadastrado nos programas da Diretoria Geral de Assistência Farmacêutica (Dgaf), voltados para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que dependem de medicação específica, prescrita por um médico.

“Esses pacientes cadastrados fazem parte do componente especializado da Assistência Farmacêutica, então, o médico precisa fazer a prescrição, com exames, tudo de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde. Normalmente, são remédios de uso contínuo. É diferente da Atenção Básica, em que você chega com a receita e leva o medicamento”, esclarece a gerente administrativa da Farmácia de Pernambuco, Amanda Figueiredo.

Ao todo, cerca de 20 mil pessoas compõem o cadastro na Região Metropolitana, onde o benefício é restrito para quem faz parte de algum grupo de risco para a Covid-19. “Nós estamos priorizando os idosos, pessoas com doenças respiratórias, transplantados. A partir do momento que atendemos os prioritários, vamos estendendo”, afirma Amanda Figueiredo.

Os pacientes beneficiados não precisam seguir nenhum procedimento para ter acesso ao serviço. Representantes do órgão ligam para o número de telefone cadastrado pelo usuário, que deve esperar a entrega em casa. A distribuição é feita por bairros, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Ainda de acordo com a SES, a iniciativa envolve dez equipes de diferentes pastas, realocadas de outros setores e divididas em duplas. Todos os funcionários, segundo a secretaria, recebem kit de equipamentos de proteção individual (EPIs) e álcool em gel.

Já os pacientes que não recebem medicamento em casa devem ir normalmente às unidades da Farmácia do Estado. Segundo a instituição, para evitar filas, é preciso comparecer ao local no dia indicado no cartão do usuário. Idosos e pacientes que não se enquadram nas doenças contempladas pelo programa de entrega em domicílio também podem enviar portadores autorizados para buscar o remédio no espaço físico. A autorização deve ser concedida por meio de uma declaração. O documento está disponível no site da Farmácia do Estado.

Veja também

Índia satisfeita com início da campanha de vacinação
Vacina

Índia satisfeita com início da campanha de vacinação

Área técnica da Anvisa recomenda também a aprovação da vacina de Oxford
Saúde

Área técnica da Anvisa recomenda também a aprovação da vacina de Oxford