Febre amarela: Pernambuco realizará diagnóstico dos casos

Estado dará início, no próximo mês, à sorologia de pacientes que podem apresentar sinais da doença

Vacinação contra febre amarelaVacinação contra febre amarela - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Para agilizar o diagnóstico de possíveis casos de febre amarela (FA) em Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) anunciou que, a partir do próximo mês, começará a realizar exames sorológicos para a doença. A estratégia já vinha sendo planejada desde 2017, quando surtos do sudeste do Brasil acenderam um alerta nacional para a volta da enfermidade e sua possibilidade de ascensão.

Leia também:
Número de mortes por febre amarela no estado do Rio sobe para cinco
Pacientes formam longas filas em busca de vacina contra febre amarela no Recife
Febre Amarela preocupa da Capital ao Interior de Pernambuco


Com a aquisição de insumos para a testagem, os exames antes realizados no Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará, passam a acontecer no Laboratório Central de Pernambuco (Lacen). A nova dinâmica reduzirá o tempo dos resultados de 40 dias em média para algo entre cinco a seis dias. Pernambuco tem, até agora, dois casos sendo investigados para FA. Um homem e uma mulher que passaram por áreas de risco em São Paulo e Bahia tiveram as amostras de sangue enviadas para o IEC depois de apresentarem um quadro febril leve.

Como a febre amarela não circula em Pernambuco, o Ministério da Saúde não libera os reagentes e insumos para o teste e, por isso, a gente tinha que fazer os testes em Belém. Mas agora vamos começar a fazer. Decidimos isso no ano passado, mas na época o objetivo era fazer a investigação em primatas não humanos. Estamos fazendo essa licitação (de compra dos insumos) desde agora e ela está sendo finalizada”, disse o secretário de Saúde do Estado, Iran Costa.

[Assista abaixo à entrevista que a Folha de Pernambuco fez com o secretário Iran Costa sobre o cenário da febre amarela em Pernambuco]



A vigilância da mortalidade de primatas, animais sentinelas do ciclo silvestre da FA, começou em fevereiro de 2017 em todo o território. De lá até hoje 70 macacos tiveram óbito notificados em 26 cidades, mas nenhum até o momento teve resultado para a FA. O secretário destacou que a organização estadual para a realização de sorologia da doença não altera o protocolo já estabelecido para a enfermidade nacional e internacionalmente. A capacitação e sensibilização dos profissionais de saúde para estarem alertas a possíveis pacientes com sintomas da febre amarela nas emergências continua e deve ser reforçada. 

Vacina
Iran Costa reforçou que os pernambucanos não devem correr indiscriminadamente para os postos uma vez que a vacina só recomendada para quem vai viajar para área de risco. O gestor comentou ainda que já chegaram informes ao Estado que algumas pessoas têm tentado forjar viagens para cidades endêmicas no intuito de conseguir dose de FA. “Isso é uma atitude que claramente influencia no sistema de saúde de forma negativa. Porque esta pessoa vai estar tirando a vacina de quem realmente precisa naquele momento”, disse.

O secretário ainda frisou que existem doses suficientes no Estado para garantir a imunização de quem realmente precisa. “Temos reserva em estoque, mas se precisar pedimos mais (ao Ministério da Saúde)”. O Governo Federal já confirmou estar em contato com todos os estados do País para atender qualquer demanda extra. A SES informou que liberou, antecipadamente, para os municípios as remessas de fevereiro da vacina. 
 

Veja também

Morador de Fernando de Noronha é internado com suspeita de Covid-19; outro residente testou positivo
Coronavírus

Morador de Fernando de Noronha é internado com suspeita de Covid-19; outro residente testou positivo

Ministério da Saúde planeja incentivo para ações em prol de alimentação saudável
Saúde

Ministério da Saúde planeja incentivo para ações em prol de alimentação saudável