Feira Japonesa lota ruas e encerra cedo

Entre as expositoras mais fiéis do evento está Akie Hamamoto

Público prestigiou em massa a festa da cultura nipônicaPúblico prestigiou em massa a festa da cultura nipônica - Foto: Bruno Campos

 

Formada por cerca de 500 famílias, a comunidade nipônica da capital pernambucana viu sua cultura ganhar a rua do Bom Jesus e a praça do Arsenal da Marinha, no último domingo (20), quando aconteceu a 20ª Feira Japonesa do Recife. Lotados por curiosos, os logradouros do Bairro do Recife tiveram toda a extensão ocupada por tendas e barracas que destacavam diferentes aspectos da cultura oriental.

Os visitantes puderam adquirir desde peças de decoração e vestuário até consumir produtos da culinária do país homenageado. Algumas barracas prestavam serviço ao apresentar as técnicas seculares que contribuem para os hábitos saudáveis dos japoneses.

Entre as expositoras mais fiéis do evento está Akie Hamamoto, que conta com um espaço para o ikebana desde a primeira edição da feira. “Sempre venho para divulgar esse trabalho”, disse ela, que dá aulas sobre a cultura e contou com alunos na exposição.

Além das barracas, a feira contou com um palco em que houve apresentações de artes marciais, dança e corais. A programação se estenderia até as 20h, mas, por volta das 18h, a maior parte das tendas já havia sido desmontada encerrando o comércio mais cedo do que o previsto.

 

Veja também

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica
América Latina

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro