Feras devem ficar atentos ao horário do Enem

Em PE, os portões serão fechados ao meio-dia e o exame começa meia hora depois

TJPETJPE - Foto: Arquivo Folha

Com o horário de verão em vigor em vários estados, os estudantes que vão fazer a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo fim de semana precisam ficar atentos ao horário de abertura e fechamento dos portões. Os portões serão abertos às 12h e fechados às 13h, no horário de Brasília. As provas começam 30 minutos após o fechamento dos portões.

Em Pernambuco e mais 17 estados os estudantes farão a prova em horário diferente do de Brasília. Portanto, esses candidatos devem acertar os ponteiros do relógio ao da capital federal para não perder o exame . Em Pernambuco, que não está em horário de verão, os portões para o Enem serão fechados ao meio-dia, com os candidatos devendo chegar ao local da prova a partir das 11h. A prova, então, começará às 12h30.

O Acre, Roraima, Rondônia e Amazonas terão a maior diferença em relação à capital federal. Oito estados e o Distrito Federal acompanham o horário de Brasília e outros 14 estão têm apenas uma hora de diferença.

Os candidatos sabatistas – que guardam o sábado por motivos religiosos – devem chegar nos mesmos horários dos demais e serão acomodados em salas separadas até as 19h (horário de Brasília) quando podem iniciar a prova.

Como o Enem está marcado para o fim de semana, os estudantes devem lembrar que nesses dias o número de linhas de metrô, trem e ônibus circulando costuma ser menor. Uma dica é, antes do dia do exame, fazer o percurso até o local da prova para conhecer com antecedência o trajeto e ter noção do tempo gasto.

Veja também

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista
Coronavírus

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria
internacional

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria