Coronavírus

Fernando de Noronha reforça equipes de Vigilância em Saúde após novos casos de Covid-19

Além do reforço com novos vigilantes em Saúde, administração da Ilha pede colaboração de moradores e visitantes no respeito às medidas de segurança

Fernando de NoronhaFernando de Noronha - Foto: Ministério do Meio Ambiente/Divulgação

Após a abertura total do turismo de Fernando de Noronha, no dia 10 de outubro, 16 novos casos da Covid-19 foram registrados no arquipélago. Desde o início da pandemia, foram 140 casos, sendo 84 na Ilha e outros 56 casos de frequentadores que chegaram infectados. Para evitar a proliferação do vírus no local, a administração reforçou a equipe de Vigilância em Saúde, agregando cinco novos profissionais da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). 

Somada aos outros quatro vigilantes em Saúde, a nova equipe atuará de forma rigorosa na entrada e circulação de pessoas na Ilha. Para Guilherme Rocha, administrador do arquipélago, a medida é necessária para garantir maior controle e segurança para moradores e visitantes. “O reforço na equipe de Vigilância em Saúde se fez necessário devido ao aumento do número de pessoas circulando diariamente na ilha. Então estamos nos cercando de todos os cuidados para continuar cumprindo a nossa principal missão, que é preservar a saúde das pessoas”, explica.

Dos 140 infectados desde o surgimento dos primeiros casos, 127 já tiveram cura clínica confirmada. Até o momento, nenhum óbito por causa da Covid-19 foi registrado. Para que os números continuem controlados, a administração da Ilha pede que, aliado aos esforços da Vigilância, moradores e comerciantes reforcem a atenção às medidas de segurança determinadas, como o uso de máscaras, por exemplo. As Polícias Militar e Civil também estão nas equipes de controle. 



“Temos várias pessoas trabalhando em conjunto para fazer o protocolo ser seguido. O mesmo tem que acontecer na pousada, no bar, no restaurante, no receptivo, para que tudo funcione normalmente, com todos se preservando, desde o guia turístico ao motorista, aos camareiros das pousadas, todos. Não podemos vacilar. É preciso seguir à risca os protocolos e usar o aplicativo Dycovid, que faz o alerta de alguém próximo com a doença”, pontua o superintendente da Ilha, Fernando Magalhães. 

Protocolos de entrada

Para os turistas, moradores ou trabalhadores que queiram entrar em Noronha, é necessário realizar o exame RT-PCR um dia antes ou no dia do embarque. O resultado negativo deve ser entregue à equipe de Vigilância em Saúde ainda no aeroporto, no momento de desembarque. Caso o exame tenha sido feito mas o resultado não tenha ficado pronto, a pessoa será colocada em quarentena até que haja um resultado. Se for positivo, será cumprida quarentena obrigatória de 14 dias.

Para quem já teve Covid-19, é preciso enviar, junto ao pagamento da Taxa de Preservação Ambiental, o resultado do exame confirmando que já teve a doença. São aceitos dois tipos de resultados: O IgG positivo (sorológico), com exame realizado pelos métodos de quimioluminescência, eletroquimioluminescência ou Elisa imunoensaio, com menos de 90 dias da data do embarque. E o RT-PCR positivo (exame de nariz e garganta), com mais de 20 dias da data do embarque. A equipe checa se o exame é válido, vai para a equipe do Sou Noronha, que irá disponibilizar o QR Code de entrada na Ilha, informando que a pessoa em questão tem cura clínica. 

Veja também

Comer antes do treino é prejudicial?
SAÚDE E BEM-ESTAR

Comer antes do treino é prejudicial?

Principais sintomas da Covid-19, perdas de olfato e de paladar têm tratamento
Vida Plena

Principais sintomas da Covid-19, perdas de olfato e de paladar têm tratamento