Vacina contra Covid-19

Fiocruz defende intervalo de 90 dias entre doses da vacina da AstraZeneca

Diversos estados do Brasil, incluindo Pernambuco, anunciaram redução do prazo para dose de reforço

Vacina da AstraZeneca contra a Covid-19Vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

A Fiocruz emitiu comunicado, na noite dessa terça-feira (13), no qual defende o intervalo de 90 dias entre as duas doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19.
 
Diversos estados do Brasil, incluindo Pernambuco, anunciaram nos últimos dias a redução desse prazo, com o objetivo de avançar com a conclusão do esquema vacinal de sua população, numa corrida contra a disseminação da variante delta no País. 

Em Pernambuco, o intervalo foi reduzido para 60 dias e já foi adotado por vários municípios.

No comunicado, a Fundação esclare que o atual intervalo de 12 semanas, equivalente a 90 dias, "considera dados que demonstram uma proteção significativa já com a primeira dose e a produção de uma resposta imunológica ainda mais robusta quando aplicado o intervalo maior".

Estudos divulgados pela AstraZeneca indicam que a primeira dose da vacina contra o coronavírus confere 76% de eficácia, que dura até três meses. Após esse período, a dose de reforço eleva a proteção a 82%. 

"O regime de doses adotado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) está respaldado por evidências científicas e qualquer mudança deve considerar os estudos de efetividade e a disponibilidade de doses", destaca a Fiocruz. 

A Fiocruz também ressalta que a vacina tem se demonstrado efetiva na proteção contra as variantes em circulação no País já com a primeira dose - a redução no intervalo entre doses é defendida pelos estados como uma forma de contar a cepa delta, mais transmissível e que desperta preocupação em vários países.

"Em relação à variante delta, uma pesquisa da agência de saúde do governo britânico, publicada em junho, aponta que a vacina da AstraZeneca registrou 71% de efetividade após a primeira dose e 92% após a segunda para hospitalizações e casos graves", enumera a Fundação, que também cita dados de um outro estudo realizado no Canadá, que apontou efetividade contra hospitalização ou morte, para a variante delta, após uma dose da vacina da AstraZeneca de 88%.

"Neste momento, a Fiocruz reforça as orientações do PNI e da nota técnica conjunta da Sociedade Brasileira de Imunizações e da Sociedade Brasileira de Pediatria [...] quanto à manutenção do intervalo de 12 semanas da vacina Fiocruz-AstraZeneca e permanecerá atuando na vigilância das variantes, bem como na produção de estudos de efetividade da vacina e de evidências científicas que possam continuar a subsidiar a estratégia de imunização no país", completa a Fundação.

Pernambuco
Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que a possibilidade de finalizar o esquema vacinal contra a Covid-19 com o imunizante da AstraZeneca entre 60 e 90 dias deve ocorrer apenas com a utilização do insumo destinado a segunda dose.

"Ou seja, não há orientação para se utilizar a primeira dose para completar o esquema. Todas as primeiras doses entregues aos municípios devem ser utilizadas pelos municípios exclusivamente com esse fim, assim como as segundas doses", informou.

A pasta reforça que a discussão para redução foi levantada após o adiamento em quase um mês, por parte do Ministério da Saúde, no envio de segundas doses da AstraZeneca - o que gerou um maior quantitativo de estoque em alguns municípios. 

"É preciso reforçar que cada município pode traçar sua estratégia, de acordo com a disponibilidade de doses e o planejamento de suas ações", esclareceu a SES-PE.

A secretaria também ressalta que a decisão que possibilita finalizar o esquema vacinal da Astrazeneca entre 60 e 90 dias, após a primeira dose, teve aval positivo do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação contra a Covid-19, a partir da análise de dados científicos. A decisão também foi pactuada entre o Estado e os municípios em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

"É importante destacar que o próprio fabricante informa em bula que esse intervalo pode ser utilizado, garantindo a proteção do público", acrescenta a pasta. 

Por fim, a SES-PE lembra que é "de extrema importância promover a garantia da completitude do esquema vacinal da população residente no Estado, pois só com as duas doses da vacina a imunidade será atingida". O"s municípios devem criar estratégias para chegar até sua população e garantir a completitude do esquema vacinal no tempo preconizado para cada imunizante", completou a secretaria.

Ministério da Saúde
O Ministério da Saúde informou que chegou a discutir a redução no intervalo recomendado, mas preferiu manter os 90 dias, ainda seguidos no País. 

“O tema foi discutido amplamente na Câmara Técnica Assessora em Imunizações, em reunião realizada no dia 2 de julho deste ano. O parecer foi de manutenção deste intervalo [90 dias]”, informou o Ministério da Saúde, que ressaltou que “acompanha a evolução das diferentes variantes do Sars-CoV-2 no território nacional”.

Diante da possibilidade da transmissão das novas cepas, a pasta alegou estar atenta a essa possibilidade de alterações no intervalo recomendado entre doses das vacinas contra a Covid-19 em uso no Brasil. 

“A pasta reforça que tem orientado estados, municípios e Distrito Federal sobre todas as ações necessárias, como intensificar o sequenciamento genômico das amostras positivas para a Covid-19 e a vigilância laboratorial, rastreamento de contatos, isolamento de casos suspeitos e confirmados, notificação imediata e medidas de prevenção em áreas de suspeita de circulação de variantes”, disse o ministério. 

Por fim, o Ministério da Saúde lembra que é importante completar o esquema vacinal da Covid-19 para que o caráter pandêmico da doença seja superado.
 

Veja também

Marcha para Jesus reúne milhares no centro do Rio de Janeiro
Religião

Marcha para Jesus reúne milhares no centro do Rio de Janeiro

MEC altera prazo para confirmação de informações do Prouni
Educação

MEC altera prazo para confirmação de informações do Prouni