Fiscalização reforçada e lombadas desligadas para o feriadão de Natal em PE

Fluxo de veículos esperado apenas nas Rotas do Atlântico e dos Coqueiros, principais acessos ao Litoral Sul do Estado, é de cerca de 100 mil veículos entre a sexta e a segunda

Operação Fim de Ano nas rodovias de PernambucoOperação Fim de Ano nas rodovias de Pernambuco - Foto: Divulgação/PRF-PE

O feriado do Natal terá, mais uma vez, o reforço na fiscalização nas estradas de Pernambuco. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) começou a primeira parte da Operação Fim de Ano nesta sexta-feira (21) e seguirá com as atividades visando evitar acidentes e coibir excessos até a próxima terça-feira (25).

Segundo o Departamento de Estradas e Rodagens (DER-PE), serão desligadas oito lombadas eletrônicas no Estado entre as 22h desta sexta e as 5h da quarta-feira (26).

Leia também:
Confira o que abre e o que fecha no feriadão do Natal
Missa do Galo e Culto de Natal não serão mais no Derby


Os seguintes equipamentos serão desligados:

- BR-232
– quilômetros 6,2; 6,3; 7,4; e 7,8, no Recife; e 9,2 em Jaboatão dos Guararapes;
- PE-035 – quilômetros 7,3 e 7,9, em Itapissuma;
- PE-060 – quilômetro 16,63, em Ipojuca.

O fluxo de veículos esperado apenas nas Rotas do Atlântico e dos Coqueiros, principais acessos ao Litoral Sul do Estado, é de cerca de 100 mil veículos entre a sexta e a segunda. Nas rodovias BR-232, PE-035 e PE-060 – que terão as lombadas desligadas pelo DER-PE – o fluxo deve ser incrementado em torno de 40%.

Motoristas devem ficar atentos a comportamentos que podem gerar acidentes graves, como não uso do cinto de segurança ou da cadeirinha, excesso de velocidade e ultrapassagens indevidas. A PRF também fiscalizará o consumo de bebidas alcoólicas, além de realizar ações educativas. 

Veja também

Ex-presidente filipino Benigno "Noynoy" Aquino morre aos 61 anos
Luto

Ex-presidente filipino Benigno "Noynoy" Aquino morre aos 61 anos

Premiê húngaro justifica lei polêmica e diz defender homossexuais
Homofobia

Premiê húngaro justifica lei polêmica e diz defender homossexuais