Fisiculturismo: a importância de um acompanhamento multidisciplinar

No fisiculturismo há disputas, que são feitas através de apresentações coletivas ou individuais, em que os jurados irão comparar um ao outro

Médico Rafael CoelhoMédico Rafael Coelho - Foto: Henrique Pimentel/Divulgação

Olá, leitores e internautas que acompanham a coluna Saúde e Bem-Estar da Folha de Pernambuco

Para muitos é algo estranho, uns acham bonito, outros horrível. Para outros tantos algo exagerado. Estamos falando da prática esportiva de fisiculturismo ou adeptos do culturismo, quando atletas, através da musculação, o popular puxar ferro, querem chegar à perfeição do corpo, ou melhor, a definição muscular. No fisiculturismo há disputas, que são feitas através de apresentações coletivas ou individuais, em que os jurados irão comparar um ao outro. Existem posições e ângulos estabelecidos para ressaltar essas definições e composições musculares. São observados: simetria, volume, proporção e a definição muscular. Dependendo da categoria, os homens se apresentam de bermudas ou sungas. Já as mulheres sempre de biquínis. A Federação Internacional de Fisiculturismo (em inglês, International Federation of Bodybuilding—IFBB), comanda o campeonato mundial, o Mr. Olympia, cujos maiores vencedores foram Lee Haney (oito vezes), Ronnie Coleman (oito vezes), Arnold Schwarzenegger (sete vezes) e Dorian Yates (seis vezes). No Brasil destacam-se: Felipe Franco, Eduardo Correa e Fernando Sardinha.

Alimentação - A vida de um atleta de fisiculturismo não é fácil. É preciso ter uma alimentação específica, baseada em proteínas para crescer os músculos, mas, sem desprezar os carboidratos de baixo índice glicêmico e as gorduras do bem. É preciso pensar nos ciclos alimentares e o acompanhamento de um médico especializado e nutricionista é essencial neste processo.

Suplementação – a principal suplementação do fisiculturista é a whey protein, além da caseína e a albumina. Outras substâncias como a Creatina e BCAA (Aminoácidos) também são recomendados, além de vitaminas e sais minerais. Dentre as vitaminas destacam-se a “C” e B6. A Vitamina C, por seu efeito anticatabólico reduz a formação do hormônio cortisol no corpo, que é antagônico à testosterona.

Hormônios – os hormônios sintetizados ou esterOides anabolizantes não são recomendados pela classe médica. Caso existe a necessidade de modulação hormonal, é preciso o acompanhamento de um médico. Um alto índice de dosagem de testosterona, por exemplo, pode levar a complicações cardíacas, aumento da mama, atrofia dos testículos e infertilidade. Outro hormônio que tem sido popularizado é o GH, denominado hormônio do crescimento, produzido naturalmente pela glândula hipófise, localizada no crânio.

Neste contexto, percebemos a importância de um acompanhamento multidisciplinar em saúde: médico, nutricionista, profissional de educação física, fisioterapeuta e, em alguns casos, psicólogo.

Pílulas

Coronavírus e a visão - O oftalmologista Pedro Soriano, observou recentemente outros sintomas associados à visão de quem testou positivo para o coronavírus: dor nos olhos e cefaleia intensa. "Observamos que é recorrente nos pacientes com Covid-19 um quadro de cefaleia intensa acompanhada de dor nos olhos. Muitas vezes o paciente apresenta um quadro mais leve, mas com problemas oculares", explica o oftalmologista do Hospital de Olhos de Pernambuco. Além desses sintomas, nos olhos a covid-19 também pode apresentar conjuntivite e estudos recentes apontam que também pode provocar lesões na retina.

Novos hábitos - Segundo o estudo Opiniões Covid-19 as campanhas para adesão às máscaras parecem estar surtindo efeito em todo o Brasil e 85% dos entrevistados confirmaram estar usando mais a proteção. As orientações para lavar as mãos também foram certeiras, 89% dos entrevistados confirmaram o novo hábito, e 84% aderiram ao uso do álcool em gel. Mais da metade das pessoas, 51%, também reportou estar comprando mais produtos de higiene pessoal.O estudo foi realizado, entre 29 de abril e 1º de maio, pela Perception, Engaje! Comunicação e Brazil Panels e entrevistou online, em todas as regiões do Brasil, homens e mulheres com mais de 18 anos, das classes ABCD, com margem de erro de até 4%, para saber a opinião dos brasileiros sobre diversas ações cotidianas em meio ao novo cenário vivido com a pandemia. Ele é um desdobramento da primeira pesquisa, feita entre 1º e 3 de abril, durante a primeira fase do isolamento da maioria dos estados do país.

Palavra do Especialista
O idoso e o câncer

“A ONCOGERIATRIA surge para realizarmos uma abordagem ampla e individualizada do idoso com câncer...” Médica Gabriele Rabelo

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em todo o mundo, até 2040, haverá um aumento médio de 60% no número de casos de câncer, sendo a idade avançada um importante fator de risco em sua incidência. O cuidado do idoso com neoplasia, por sua vez, deve ser individualizado, por ser uma população mais vulnerável a efeitos colaterais de medicações, pela presença de várias doenças associadas, existência de polifarmácia e pelo perfil mais fragilizado dessa população. Sendo assim, a ONCOGERIATRIA surge para realizarmos uma abordagem ampla e individualizada do idoso com câncer a partir da associação da Avaliação Geriátrica Ampla com a oncológico tradicional. Neste sentido, tem como objetivo individualizar o tratamento, instituir medidas de reabilitação e prognóstico, além de identificar quais aspectos da saúde do idoso podem ser melhorados. O foco é manter o melhor quadro clínico, físico e emocional durante o tratamento. Sendo fundamental o acompanhamento conjunto com equipe interprofissional.

Gabriele Rabelo é Médica Geriatra do Serviço de Geriatria e Reabilitação
CRM/PE: 21878

@sergere.recife

Geriatra Gabriele Rabelo

Geriatra Gabriele Rabelo - Foto: Digital Fisher/Divulgação

*Rafael Coelho (Médico - CRM: 23943/PE)
Site: www.rafaelcoelhomed.com.br
Email: [email protected]
Instagram: @rafaelcoelhomed.com

Veja também

Brasil tem 20.503 casos e 464 mortes pela Covid-19 em 24 horas
Boletim nacional

Brasil já acumula quase 20 milhões de diagnósticos e 556.834 mortes pela Covid-19

Pernambuco registra 643 novos casos e 24 óbitos pela Covid-19 nas últimas 24 horas
Coronavírus

Pernambuco já totaliza 18.808 mortes pela Covid-19