Famosos

Flávia Alessandra fala sobre decisão da justiça após reconhecer Fontenelle como herdeira de Marcos P

O advogado de Flávia e Giulia, mãe e filha, afirmou que Antônia casou com o diretor da Globo com separação de bens

Alessandra fala em nome da filha Giulia, herdeira de Marcos Paulo, que foi casado com FontenelleAlessandra fala em nome da filha Giulia, herdeira de Marcos Paulo, que foi casado com Fontenelle - Foto: Divulgação

A atriz Flávia Alessandra se pronunciou após Antônia Fontenelle ter sido reconhecida como herdeira do ator Marcos Paulo. A global afirmou que não briga pela herança, mas sim defende a filha Giulia, fruto do relacionamento com o diretor falecido. "Tenho evitado ao máximo tocar nesse assunto, prometi pra mim mesma que não falaria sobre isso, mas estou vendo que estão confundindo meu papel nessa história toda. Então, que fique claro: nunca briguei por nenhuma herança, jamais questionei ou questionarei qualquer decisão da Justiça e apenas represento a minha filha menor de idade, que é herdeira por direito", disse Flávia, por meio de sua assessoria de imprensa.

O advogado de Flávia e Giuliam, Alessandro Elísio Chalita de Souza, disse ainda que Fontenelle casou com Marcos Paulo em separação de bens, porém após o falecimento tentou reverter o acordo. "Vale ressaltar, que a Sra. Antônia Fontenelle é que está pleiteando algo que no passado renunciou. Explico: houve entre Sra. Antonia e Marcos Paulo, a celebração de uma escritura de união estável, registrada e reconhecida, aonde ela, Antônia, abriu mão de todo e qualquer patrimônio do falecido diretor de televisão. Este documento, inclusive foi entregue às filhas pelas mãos do Sr. Marcos Paulo no dia da cirurgia realizada pelo mesmo. Nesse mesmo dia, Marcos ainda teve a preocupação de dizer as filha que havia registrado esse documento assim como o testamento para caso o pior viesse a acontecer", disse o advogado.

Outro bem que está na justiça é um apartamento em Nova Iorque. "Fato é que a Sra. Antônia tem histórico de má utilização e manipulação indevida de documentos. Explico mais uma vez: há um bem imóvel localizado em Nova Iorque, que foi adquirido pelo falecido. Esse bem, por estar situado no exterior não deve ser tratado no inventário brasileiro, mas sim na Justiça dos EUA. A justiça americana, por sua vez, reconheceu a FRAUDE perpetrada pela Sra. Antônia, que de forma indevida, utilizou uma procuração sem validade para transferir para si esse patrimônio em detrimento das três herdeiras. A justiça americana reconheceu essa FRAUDE e desfez a transferência da propriedade desse bem, partilhando-o assim com as três herdeiras legítimas e reconhecidas em Testamento público", diz a nota do advogado de Flávia Alessandra e Giulia.

Veja também

'Falta compostura ao presidente', diz presidente da ABI sobre ataque de Bolsonaro à imprensa
Imprensa

'Falta compostura ao presidente', diz presidente da ABI sobre ataque de Bolsonaro à imprensa

Unicef: 5,5 milhões estavam sem atividades escolares em outubro
Educação

Unicef: 5,5 milhões estavam sem atividades escolares em outubro