Argentina

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina

Com a aprovação da oitava revisão, a Argentina já recebeu 41,4 bilhões de dólares (R$ 223 bilhões, na cotação atual) no total

Congresso da ArgentinaCongresso da Argentina - Foto: Juan Mabromata/AFP

A direção executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou, nesta quinta-feira (13), a oitava revisão do acordo de crédito com a Argentina, que permite "o desembolso imediato de aproximadamente 800 milhões de dólares" (R$ 4,3 bilhões) ao país, informou a instituição financeira.

Este dinheiro "apoiará os esforços das autoridades para restabelecer a estabilidade e fortalecer a viabilidade externa da Argentina", assinalou o Fundo em comunicado.

Em 2022, o FMI e o governo argentino acordaram um programa de crédito no qual o país sul-americano receberá 44 bilhões de dólares (R$ 237,5 bilhões, na cotação atual) em 30 meses em troca de aumentar suas reservas internacionais e reduzir o déficit fiscal, de 3% do Produto Interno Bruto em 2021 para 2,5% em 2022, 1,9% em 2023 e 0,9% em 2024.

Com a aprovação da oitava revisão, a Argentina já recebeu 41,4 bilhões de dólares (R$ 223 bilhões, na cotação atual) no total.

O programa de crédito "está firmemente encaminhado", já que foram cumpridos "com margens" todos os "critérios quantitativos de rendimento até o fim de março de 2024", acrescentou a instituição financeira na nota.

Mas, "para manter os sólidos avanços, é necessário melhorar a qualidade do ajuste fiscal, iniciar passos para um marco melhorado de política monetária e cambiária e implementar a agenda estrutural", advertiu.

O Fundo insistiu em que o governo do presidente ultraliberal Javier Milei deve se esforçar para "apoiar os mais vulneráveis, ampliar o apoio político e garantir a agilidade na formulação das políticas".

Milei vive um bom momento. Nas últimas horas, recebeu boas notícias.

O Instituto Nacional de Estatística divulgou a inflação de maio, que se moderou até ficar em 4,2%, embora continue sendo uma das mais altas do mundo em 12 meses, chegando perto de 280%.

Além disso, o Senado argentino aprovou na madrugada desta quinta-feira seu pacote de reformas do Estado em uma longa sessão marcada por distúrbios na frente do Congresso, que deixaram cerca de 20 feridos e detidos.

Veja também

Homem morto em atentado contra Donald Trump é identificado, diz governador da Pensilvânia
ataque a tiros

Homem morto em atentado contra Donald Trump é identificado, diz governador da Pensilvânia

Serviço Secreto dos EUA nega acusações de que teria recusado proteção adicional para Donald Trump
comício na Pensilvânia

Serviço Secreto dos EUA nega acusações de que teria recusado proteção adicional para Donald Trump

Newsletter