Folha Educa: Atenção aos eixos cognitivos

A menos de um mês para o Enem, é fundamental que o fera domine os recursos usados para convergir conhecimento

Banda Sorriso MarotoBanda Sorriso Maroto - Foto: Divulgação

Falta menos de um mês para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e uma das apreensões costumeiras da época é ligada à insegurança dos estudantes: e se a prova não cobrar o que foi estudado no Ensino Médio?

Para quem vem se preparando e leu o edital, o termo eixo cognitivo pode soar familiar - é a maneira do Enem saber se o estudante entendeu o assunto. Os eixos são divididos em cinco: dominar linguagens; compreender fenômenos; enfrentar situações-problema; construir argumentação; e elaborar propostas. Eles são comuns a todas as quatro áreas de conhecimento (Linguagens e Códigos, Matemáticas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias).

Segundo o professor Marcial Oliveira, coordenador do grupo de estudos voltados para o Enem e vestibulares do Colégio Marista São Luís, a cognição significa o processo de aquisição do conhecimento. A matriz de referência do Enem, disposta em edital no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), busca convergir tudo o que for aprendido na vida escolar do aluno. “Os eixos cognitivos estão ligados a níveis de exigência dos saberes. Eles constituem etapas que vão se somando e se o candidato conseguir dominar o 5º eixo cognitivo, significa que passou bem pelas anteriores”, aponta. Ou seja, o Enem entende que o estudante que consegue elaborar propostas, último eixo cognitivo, já tem um domínio dos outros eixos.

A recomendação do professor é se apropriar da matriz de referência, pois é lá que o aluno encontrará no que precisa focar que não havia estudado antes. Nesta reta final, Marcial percebe a inquietação dos jovens em sala de aula, eles começam a duvidar do próprio preparo e se preocupam com a concorrência. “Os alunos ficam em conflito quando veem alguma coisa na aula que parece ser novo e se maltratam um pouco pensando que aquilo vai aparecer no dia da prova ou fazer muita falta. Se ele conhece a matriz e os objetos de conhecimento que estão atrelados, ele consegue se posicionar naquilo que o Enem costuma exigir .”

Para o estudante João Felipe dos Santos, 17 anos, o que tranquiliza é quantidade de questões da prova. “São 180 quesitos. É muita chance de cair o que estudamos e termina contemplando todos os assuntos”, conta.

O Enem acontece nos dias 5 e 6 de novembro e o cartão de inscrição com locais de prova devem ser liberados pelo Ministério da Educação (MEC) na próxima terça-feira.

Veja também

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte
internacional

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19
boletim

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19