[Fotos] Tumaracá: música e tradição lotam Marco Zero

No encerramento da semana pré-Carnaval, a força dos maracatus de nação arrastaram milhares de foliões

Tumaracá no Marco ZeroTumaracá no Marco Zero - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Na noite de encerramento da semana pré-carnavalesca no Bairro do Recife,  nesta quinta-feira (8), as estrelas foram as tradicionais agremiações do maracatu. O ritmo frenético das alfaias, atabaques e agabês de mais de 800 batuqueiros de 13 nações arrastou uma multidão que acompanhou o cortejo da rua da Moeda até o Marco Zero da capital pernambucana.

Em cerca de três horas de apresentação, os grupos mostraram a força e tradição da cultura afro. Aparentemente, as polêmicas em relação à troca de dia do desfile (da abertura do carnaval para o encerramento da semana-pré) perderam forma, e o sentimento de integrantes e mestres era de satisfação e dever cumprido.

Leia também:
Tumaracá leva multidão ao Marco Zero do Recife
Olinda abre Carnaval com frevo e chuva

“Fizemos uma festa na coletividade e com planejamento. Nenhuma das nações, nenhum de nós perdeu nada, pelo contrário. No coração agora está o sentimento de dever cumprido. Agora é festa. É fazer o que sabemos: tocar para a alegria dos foliões. As nações estão nas ruas unificando e levando o legado que Naná Vasconcelos deixou. União, força e energia para todo o Carnaval que vai chegar”, disse o mestre Chacon, do Maracatu Nação Porto Rico.

O mestre Hugo do Maracatu Leão da Campina confirmou que qualquer aresta sobre a saída dos maracatus já ficou para trás. “Sempre gostamos de coisas novas e sempre estamos preparados para tudo. Para nós, ganhamos mais um dia de Carnaval e a cidade também”. O mestre destacou ainda o empenho de todos os integrantes, em especial o de crianças, que devem levar a bandeira do maracatu para as gerações futuras. “Não existe maracatu sem criança. Ela esta ali para pegar nossa raiz. Plantamos hoje com eles para colher amanhã”. No palco, os 13 mestres fizeram uma autoregência com participações do Coral Voz Nagô, da cantora Isaar e dos cantores Guitinho de Xambá (Grupo Bongar) e de Zé Brown.

O prefeito Geraldo Julio esteve no Marco Zero para assistir à apresentação do Turamacá e também avaliou positivamente a semana pré. “A gente esta vendo tudo dando certo até aqui. Toda a parte de infraestrutura, planejamento, tudo acontecendo bem. Estamos também muito felizes porque estamos vendo muita gente na rua e lotando o Recife Antigo. Vai ser um grande Carnaval”, disse o prefeito. ele voltou a reafirmar que a troca de dia da participação dos maracatus no palco do Marco Zero só veio a somar para a folia na Capital. “Essa mudança trouxe mais um dia de Carnaval no Marco Zero. Um dia especial para os maracatus, como ouvi de alguns mestres. Estamos aqui para esta reverência as 13 nações. Surge um evento novo no Carnaval do Recife, que já atraiu muita gente neste primeiro ano e vai atrair ainda mais nos próximos”, reforçou.

Protestos
Pessoas ligadas às religiões de matriz africana aproveitaram o evento para protestar contra a vereadora recifense da bancada evangélica Michele Collins (PP) que, em recente postagem nas redes sociais, fez uma referência a Iemanjá, desagradando as comunidades de terreiros. Lideranças religiosas levaram banners para a festa apontando que a parlamentar praticou racismo religioso ao dizer que Iemanjá havia “jogado uma maldição” sobre Pernambuco e o Brasil.

Veja também

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica
América Latina

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro