Pandemia

França coloca 20 departamentos em 'vigilância reforçada' pela Covid-19

Mais de 85 mil pessoas morreram devido ao coronavírus na França, um dos países da Europa mais afetados pela pandemia.

Nos departamentos do Norte e Sul do país, as medidas de confinamento já foram implementadasNos departamentos do Norte e Sul do país, as medidas de confinamento já foram implementadas - Foto: AFP

As autoridades francesas colocaram 20 departamentos sob vigilância reforçada devido a um número crescente de casos de coronavírus, anunciou o primeiro-ministro Jean Castex na quinta-feira (25).

Esses departamentos - um quinto do total e que incluem Paris e seus subúrbios - "acumulam indicadores desfavoráveis", alertou o primeiro-ministro em coletiva de imprensa transmitida pela televisão.

Neles há uma incidência de cerca de 250 casos por 100 mil habitantes, uma pressão hospitalar "perto do limite crítico" e uma "circulação viral que começa a acelerar seriamente", explicou.

O chefe do governo francês pediu às autoridades locais que iniciassem negociações para aceitar novas restrições sanitárias a partir do fim de semana de 6 de março "se a situação continuar a piorar".

No departamento dos Alpes-Marítimos (sul) e na aglomeração de Dunkerque (norte), foram já implementadas medidas de confinamento durante o fim de semana.

Depois de ter implementado dois confinamentos nacionais, o governo francês está comprometido com uma nova estratégia com medidas mais localizadas para combater a pandemia.

O objetivo é evitar a todo custo um terceiro confinamento total, que seria devastador para a economia e poderia ter um alto custo político 14 meses antes das eleições presidenciais.

"Tudo o que for possível deve ser feito para atrasar" um possível confinamento para "dar tempo para a vacinação fazer efeito", disse Castex.

A nível nacional, já existe um toque de recolher em vigor entre as 18h00 e as 06h00 e os restaurantes, cafés, bares, museus e cinemas estão fechados.

Mais de 85.000 pessoas morreram devido ao coronavírus na França, um dos países da Europa mais afetados pela pandemia.

Veja também

Lei estabelece suporte para identificar violência contra crianças e adolescentes
Blog da Folha

Lei estabelece suporte para identificar violência contra crianças e adolescentes

EUA esperam que Bolsonaro diga que não vai mais tolerar desmatamento ilegal
Meio Ambiente

EUA esperam que Bolsonaro diga que não vai mais tolerar desmatamento ilegal