home office

Garras, corcundas e olhos vermelhos: confira como serão os trabalhadores do home office em 70 anos

Empresa de móveis fez uma projeção de como será o físico e a saúde das pessoas em 2100

Os olhos na tela durante a maior parte do dia a deixou com o olhar inchado e vermelho.Os olhos na tela durante a maior parte do dia a deixou com o olhar inchado e vermelho. - Foto: Reproduçaõ

Não pegar o trânsito da manhã ou final da tarde é precioso para quem trabalha de home office. Estar no aconchego de casa em dias frios, trabalhar de meia e chinelo e descabelado virou o novo normal pós pandemia de Covid-19. Porém uma projeção feita pela empresa de móveis Furniture At Work pode mudar a cabeça de muitas pessoas.

A empresa canadense revelou por meio de fotos como seriam os trabalhadores do home office até 2100 e não é uma imagem muito bonita. Segundo eles, as pessoas vão ser corcundas, terão olhos negros e inchados, além de garras nas mãos.

A modelo, apelidada de Anna, exibe muitos efeitos físicos devido ao uso consistente de tecnologia, exposição à tela e má postura, além de destacar possíveis problemas de saúde mental. A equipe empresarial criou as imagens após uma pesquisa da universidade Leeds, no Reino Unido, e descobrir que um terço dos trabalhadores domésticos do país não tem espaço de trabalho dedicado em casa.

Foto: Reprodução

Anna trabalha na cama, por exemplo, por não ter um escritório próprio para a rotina profissional. O que a fez ter costas curvadas e os ombros levantados. Os olhos na tela durante a maior parte do dia a deixou com o olhar inchado e vermelho.

Longas horas com a mão em volta do mouse fizeram com que seus dedos se enrolassem em garras permanentes. Ela também foi vítima de ganho de peso, um sistema imunológico fraco devido à falta de ar fresco, ansiedade e depressão.

“Os trabalhadores remotos devem fazer pausas regulares para alongar e mover seus corpos para ajudar a evitar dores nas costas e no pescoço”, afirmou Brian Clark, fundador da United Medical Education.

Em entrevista ao Globo, o neurocirurgião Francisco Sampaio Júnior, especialista em coluna vertebral do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, afirma que o corpo humano não foi feito para ficar dez horas sentado em uma cadeira e que é necessário ter uma movimentação.

Foto: Reprodução

— Não foi descrito oficialmente que podemos ficar corcundas, mas se não mudarmos e não passarmos a informação correta para nossos descendentes isso poderá ocorrer no futuro — diz.

E é importante que as pessoas tenham um espaço em casa dedicado ao trabalho remoto, com cadeiras ergonométricas, além de estabelecer limites entre o trabalho e o tempo pessoal.

Veja também

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29
COP29

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina
Argentina

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina

Newsletter