São Paulo

Gestão Doria leiloa concessão de Zoológico de SP, Zoo Safari e Jardim Botânico por R$ 111 milhões

As empresas vencedoras terão de modernizar e fazer investimentos nos equipamentos

Área de visitação do ZoológicoÁrea de visitação do Zoológico - Foto: Paulo Gil/Zoo-SP

O governo João Doria (PSDB) concluiu o leilão para a concessão do Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico de São Paulo por 30 anos à iniciativa privada. A proposta foi de R$ 111 milhões. O consórcio com a melhor proposta foi o Reserva Paulista. O valor mínimo era de R$ 48 milhões, logo, houve um ágio de 132%.

As empresas vencedoras terão de modernizar e fazer investimentos nos equipamentos. O consórcio terá ainda que fazer a manutenção e modernização dos equipamentos, prédios, áreas de exposição de flora e demais áreas. Doria, que havia prometido a concessão dos equipamentos, esteve presente no evento e elogiou as privatizações.

"Nosso governo é um governo liberal. E um governo liberal para valer. Não é conversa eleitoral. Nosso governo acredita no setor privado, aposta no setor privado e entende que o privado é melhor do que público", disse, numa alfinetada ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que vem sendo criticado pelo mercado por interferir na Petrobras e em estatais, contrariando o discurso liberal da campanha eleitoral.


Segundo Doria, o ágio superou a expectativa, que era em torno de 100%. Agora, falta apenas o governo analisar os documentos para aprovação final da documentação da vencedora da concessão, cujo resultado sai no dia 27 de fevereiro.

O governo afirma que o valor para o contrato único para os parques é de R$ 417 milhões, sendo R$ 263 milhões de investimento mínimo e R$ 180 milhões nos cinco primeiros anos da assinatura do acordo.

O consórcio vencedor inclui empresas as empresas Turita Engenharia, Live Park, Oceanic Zoo Corporation, Egypt engenharia e participações, Era Técnica e Enge Pavi.

A segunda proposta foi apresentada pelo consórcio Cataratas do Iguaçu, no valor de R$ 82 milhões. A concessão foi anunciada em 2019, primeiro ano da gestão do governador. Na ocasião, a ideia seria economizar R$ 4 milhões por ano com as três concessões. A empresa que assumisse faria investimentos em modernização e manutenção das três áreas.

Segundo o governo, o Zoológico e o Zoo Safari são superavitários -ambos recebem cerca de 1,3 milhão de visitantes por ano. Já o Jardim Botânico seria deficitário, frequentado por 270 mil visitantes por ano.

A concessão passou por aprovação na Assembleia Legislativa em junho de 2019. Na ocasião, a oposição criticou o projeto afirmando que seria um "cheque em branco" do governo à iniciativa privada.

O zoológico de São Paulo é o maior em biodiversidade da América latina, de acordo com o governo.
As atividades de pesquisa, centros de conservação e proteção de espécies ameaçadas continuarão a ser administradas pelo estado.

Segundo o governo, no zoológico, o concessionário terá de promover "mais imersão na natureza e nos recintos pelo bem-estar animal". O contrato tem investimentos previstos para construir habitats mais modernos, amplos e integrados, além do monitoramento de indicadores de desempenho da saúde dos animais.

Segundo o projeto, o consórcio terá de conceder ingressos grátis para crianças com até 4 anos e para estudantes e professores da educação infantil, ensino fundamental e médio da rede pública de ensino, em dias específicos. A meia-entrada continua a existir.

No Jardim Botânico, está previsto o aumento do uso público com a implantação de programas de educação ambiental, espaços de lazer, cultura, alimentação e melhorias na acessibilidade.

"A concessão trará muitos benefícios. O atendimento aos visitantes ficará ainda melhor com os investimentos que serão feitos tanto no Zoológico quanto no Jardim Botânico e o governo, por sua vez, vai focar seus recursos e esforços nas pesquisas e proteção à biodiversidade, que continuarão com o estado", disse o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de SP, Marcos Penido.

Veja também

Mais de 10 milhões de senhas de brasileiros são expostas em vazamento global
Dados

Mais de 10 milhões de senhas de brasileiros são expostas em vazamento global

'É dever com terra martirizada', diz papa Francisco sobre visita ao Iraque apesar da Covid
PAPA

'É dever com terra martirizada', diz papa Francisco sobre visita ao Iraque apesar da Covid