Gincana entre escolas no Recife quer reduzir resíduos plásticos

Programa Mais Vida nos Morros edição Julho Sem Plástico pretende retirar até uma tonelada de lixo na cidade

Lançamento da campanha ocorreu na Escola Municipal Água FriaLançamento da campanha ocorreu na Escola Municipal Água Fria - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Vinte escolas municipais servirão como ponto de arrecadação de resíduos plásticos no Recife. A ação é parte de uma competição promovida pela Prefeitura do Recife em parceria com a empresa Tintas Coral como desdobramento do movimento Julho Sem Plástico, iniciado no Reino Unido em 2011. A rua que mais arrecadar resíduos vai ser escolhida para um mutirão de transformação do programa Mais Vida Nos Morros.

A largada da gincana foi na Escola Municipal Água Fria, no bairro de Campina do Barreto. Serão 20 ruas do Recife participantes, que devem se inscrever e unir moradores, famílias e vizinhos para coletar todo lixo que encontrarem até o dia 16 de agosto. Os resíduos devem ser limpos e mantidos em casa até o dia 21 do mesmo mês, quando serão contabilizados por peso em cada escola que estiver funcionando como ponto de descarte.

Leia também:
Lei que proíbe uso de descartáveis plásticos é aprovada no Paulista
Decreto para eliminação de plástico entra em vigor em Noronha

A dona de casa Raquel Souza é mãe de dois alunos da escola Municipal Água Fria e assistiu à palestra de abertura enquanto os filhos estavam em aula. Raquel costumava morar na beira do rio Beberibe e sabe os prejuízos que o plástico pode trazer. “Toda vez que chovia, o rio, cheio de plástico, subia e meu quintal alagava. O lixo que estava lá ia todo para minha casa. Aparecia garrafa, cadeira, tudo boiava no quintal.” Raquel não mora mais em uma área com risco de enchente, mas a experiência fez com que quisesse participar e interagir com a transformação da comunidade. “Vou me juntar ao projeto, porque quero que possa chover sem ter tanta enchente.”

Mesmo com pouca idade, Davi Nunes, de sete anos, já sabe que não deve jogar plástico no chão. Segundo sua avó, Diva Nunes, ele guarda todas as embalagens dentro da bolsa para jogar fora em casa. “Ele também critica quando vê alguém jogando materiais no rio”, diz, orgulhosa. A mesma consciência veio de berço para Luana Albuquerque, de 10 anos. “O mundo poluído faz mal para os seres humanos, animais, e plantas. Minha rua tem muito lixo, e quando a gente limpar, vai ficar muito melhor de morar”

Nesta primeira edição, a Prefeitura estima arrecadar até 50kg por escola, que soma uma tonelada de lixo. “A gente acredita que o modelo de cidade ideal é quando junta o poder público, iniciativa privada e a grande protagonista, que é a população, para um bem maior”, explicou o secretário executivo de Inovação Urbana, Tullio Ponzi.
Segundo ele, é uma ação inédita que credibiliza a vontade do recifense de transformar sua realidade. "Essa é a escola do futuro. As crianças vão ensinar aos adultos como é que faz.”

As escolas municipais que participam da primeira edição do projeto são as de: Água Fria, Alda Romeu, dos Coelhos, Monteiro Lobato, Professora Jandira Botelho, Asa Branca, Capela Santo Antônio, Deputado Edson Cantarelli, Jardim Mauricéia, Engenheiro Henoch Coutinho, Diná de Oliveira, Sítio do Bernardo, Chico Mendes, Parte José de Anchieta, Edite Braga, Alto da Guabiraba, Guabiraba, Octávio Meira Lins, Mangabeira e Dom José Lamartine. E os moradores devem residir na cidade do Recife, sem abranger a Região Metropolitana.

Veja também

Vacinação contra febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais
Campanha

Vacinação contra febre aftosa já imunizou 166 milhões de animais

Os estragos do coronavírus comparados a outros vírus mortais
Coronavírus

Os estragos do coronavírus comparados a outros vírus mortais