Givanildo pede apoio aos torcedores e traça projeção para acesso

Técnico acredita que Timbu pode subir com 62 pontos ao término da competição

Rei Arthur: A Lenda da Espada Rei Arthur: A Lenda da Espada  - Foto: Divulgação

Pouco mais de três mil pessoas. Essa é a média de público do Náutico na Série B do Campeonato Brasileiro. O clube é apenas o 13º que mais levou torcedores para seu estádio. Um número que incomoda os jogadores do Náutico e o técnico Givanildo Oliveira. Para mudar esse cenário, os alvirrubros esperam casa cheia no duelo do sábado (1°), contra o Vasco, na Arena Pernambuco. O técnico, inclusive, também fez uma projeção sobre a quantidade de pontos necessária para o time alcançar o G4 e conseguir o acesso à Primeira Divisão. Confira trechos da entrevista.

Torcida

Tivemos um jogo, se não me falha a memória foi contra o Bahia, que a bola estava para sair e alguns torcedores começaram a vaiar. Ainda ia começar o jogo. Sei o que teve para trás, mas estamos no presente. E ele não está excelente, mas está bom e podemos melhorar. Preciso que a torcida apoie o time. Queria ver (o estádio) com 12, 15 mil pessoas. Essa é a força do Náutico.

Final antecipada?


Todos os jogos são finais. Essa é uma partida que, se a gente ganhar, pode avançar um pouco mais. Não acho (Vasco) bicho papão. Eles são os favoritos, estão na nossa frente, mas precisamos ganhar muito mais do que eles.

Momento dos atacantes

O que tem faltado acontecer é ter um jogador ali dentro (da área). O Bergson já jogou por ali, mas não é dali. Teve algumas chances, mas infelizmente não fez os gols. O mais importante para mim é que tivemos jogos que quem fez os gols foram os meias. É a mesma coisa quando falam que se um time toma gol, os zagueiros estão falhando. Não é somente eles, porque isso depende dos volantes, meias e laterais. Eu quero ganhar, não me interessa se for gol de zagueiro.

Matemática do acesso

Por estar sempre acompanhando a Série B, vejo os ‘entendidos’ falando que com 62 pontos ou até menos é possível chegar ao quarto lugar. Antes era 64, 65. Sempre fiz a conta de 64 para subir e 44 para não cair. Mas o momento permite dizer que com 61 ou 62 nós podemos subir.

Veja também

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam
EUA

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU
EM EVENTO NO RECIFE

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU