Givanildo ressalta preocupação com maratona de jogos

Treinador mostrou descontentamento com o fato de o Náutico entrar em campo já nesta sexta (7), diante do Brasil de Pelotas

TungstênioTungstênio - Foto: YouTube / Reprodução

Sete dias, três jogos. O Náutico engatou uma maratona de partidas nesta semana pela Série B do Campeonato Brasileiro. Depois de encarar o Vasco no último sábado (1º) e o Bragantino (4), o time terá que voltar a campo já nesta sexta (7), para enfrentar o Brasil de Pelotas, na Arena de Pernambuco. O pouco tempo para descansar, inclusive, é um fato que incomodou o técnico Givanildo Oliveira.

“Isso (maratona) preocupa sim, até pelo que vimos no jogo passado. Embora em um clima mais fresco, alguns jogadores sentiram mais do que outros. Fiquei chateado porque não entendo o motivo do jogo ser sexta e não sábado. Acho desgastante. Mas não tem muito que fazer: é procurar recuperar para ganhar o jogo”, afirmou o técnico.
Contente pela sequência de resultados positivos que colocou o Náutico colado no G4 – o Timbu está na quinta posição, com 45 – o treinador pediu novamente o apoio da torcida, embora o dia e o horário do confronto dificultem um maior público.

“Essa é a hora. Se o jogo fosse duas da manhã, também deveriam estar lá. Quanto mais eles estiverem perto de nós, melhor. Isso ajuda muito. Estamos torcendo para que eles façam isso e para que o nosso time corresponda em campo”, citou. “Conseguimos dois resultados bons fora de casa e tivemos uma vitória boa contra o Vasco. Ganhamos 14 de 18 pontos, uma média boa para subir. No ritmo que estamos, continuando com essa disposição e nos superando com garra, temos condições de chegar onde queremos”, finalizou.

Veja também

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam
EUA

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU
EM EVENTO NO RECIFE

Em evento no Recife, ministro da Educação diz que 140 prefeituras terão de prestar contas ao TCU