Gleisi deixa o Recife sem nada acertar com o PSB

Gleisi disse que o PT nunca desautorizou a candidatura de Marília, o que não é verdade

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

A senadora Glesi Hoffmann deixou ontem o Recife sem nada de concreto sobre o principal objetivo de sua viagem de 48 horas a Pernambuco: acertar uma aliança formal com o PSB para que os dois partidos apoiem o candidato petista à Presidência da República. A senadora se encontrou com o governador Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB e principal interessado nesta aliança, que fortaleceria sua retaguarda eleitoral e ao mesmo tempo impediria a candidatura da vereadora Marília Arraes ao Governo do Estado. Só que ele está quase isolado no PSB em defesa desta aliança, que é contestada internamente pelos governadores Márcio França (SP) e Rodrigo Rollemberg (DF), o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda e o ex-deputado Beto Albuquerque (RS), para citar apenas esses quatro. Sendo assim, a viagem da senadora só não foi totalmente improdutiva porque na conversa com seus correligionários ela ficou sabendo que a candidatura de Marília tem viabilidade política e eleitoral, a julgar pelas últimas pesquisas de opinião. A senadora chegou a dizer, inclusive, que o PT nunca “desautorizou” a candidatura dela, o que não é verdade. No dia 19 de junho, data em que a vereadora fez um ato político para apresentar o deputado Sílvio Costa como seu candidato a senador, o presidente estadual do PT, Bruno Ribeiro, divulgou nota desautorizando a candidatura e também a aliança dizendo que ambas não haviam passado por nenhuma instância partidária.

Humberto já admite plano B
Gleisi Hoffmann é um dos petistas que se recusam a admitir, mesmo por hipótese, que Lula poderá não ser candidato a presidente da República, o que levaria o partido a lançar mão de um “plano b” que seria o ex-prefeito Fernando Haddad (SP). Mais realista, o senador Humberto Costa (PE) já admite a não candidatura do líder petista, que deverá ser indeferida pelo TSE.

Pela educação > Fernando Haddad é, por enquanto, coordenador do plano de governo do PT. Ontem, ele se encontrou com a deputada Teresa Leitão, em São Paulo, para tratar do capítulo “educação”. Ele já foi ministro da Educação e ela presidente do Sintepe.

O turismo > Se o voo da Azul Recife-Serra Talhada não for cancelado por falta de passageiros, quem poderá beneficiar-se dessa linha é Triunfo, que fica a apenas 30 km de distância. Muitos recifenses gostariam de conhecê-la mas não o fazem por causa da distância (400 km).

Da terra > A Delegacia Regional da Polícia Civil em Cabrobó está sendo comandada desde ontem por um filho da terra: o delegado Emanuel Caldas Sá, parente dos ex-prefeitos Eudes e Edgar Caldas. Ela tem jurisdição sobre Orocó, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande.

O estágio > A convite de Paulo Câmara, o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PCdoB), participou ontem de uma reunião de monitoramento do Pacto pela Vida. Pode ter sido o primeiro passo para ser o vice do atual governador.

Que acha? > De passagem anteontem por Brasília, onde conversou com vários parlamentares, Geraldo Alckmin (PSDB) trocou impressões sobre sua campanha com o pernambucano Bruno Araújo. Se não for candidato a senador em Pernambuco, Bruno irá para a campanha dele.

Veja também

Aos 111 anos, pernambucana tira identidade pela primeira vez
Histórico

Aos 111 anos, pernambucana tira identidade pela primeira vez

Vacinas da Índia devem chegar ao Rio de Janeiro no fim da tarde desta sexta-feira (22)
Coronavírus

Vacinas da Índia devem chegar ao Rio de Janeiro no fim da tarde desta sexta-feira (22)