Globo suspende parcela do Brasileiro e deixa clubes em modo de apreensão

A emissora entendeu que não faz sentido honrar o pagamento neste momento, já que não se tem certeza de como será o formato da Série A, nem em que ritmo de calendário o Brasileirão será disputado neste ano

Troféu do Campeonato BrasileiroTroféu do Campeonato Brasileiro - Foto: Divulgação

Depois de avisar aos clubes que suspendeu os pagamentos referentes aos campeonatos estaduais, em razão da pausa forçada pela crise mundial do novo coronavírus, a Globo tomou a mesma posição em relação à primeira parcela referente ao Campeonato Brasileiro, que representa 40% de toda a verba paga pelos direitos de transmissão.

Segundo apurou a reportagem essa verba é aquela dividida por igual entre todos os participantes da Série A -uma cifra em torno de R$ 22 milhões para cada clube, com R$ 439 milhões sendo distribuídos igualitariamente. Esse direito é pago em duas parcelas, uma prevista para março e a outra para abril (o pagamento do mês anterior já não havia sido efetuado).

Leia também:
CBF antecipa taxas para ajudar quase 500 árbitros durante pandemia
Clubes do Rio decidem terminar o Carioca em campo ainda em 2020
Diretores de clubes da Série A debatem finanças

A emissora carioca entendeu que não fazia sentido honrar esse pagamento neste momento, já que não se tem certeza de como será o formato da Série A, nem em que ritmo de calendário o Brasileirão será disputado neste ano. Fontes nos clubes consultadas pela reportagem confirmam a informação e admitem apreensão com o impasse.

Alguns times dependem dessa verba dividida pela Globo para honrar compromissos imediatos, como o pagamento de salários de jogadores. Por conta disso, discussões para definir como será o Campeonato Brasileiro prometem ser apressadas nas próximas semanas. Para os clubes de São Paulo, o baque é ainda maior. A emissora ainda teria que pagar R$ 62,5 milhões de uma parcela dos direitos do Campeonato Paulista. Times do Rio Grande do Sul e Minas Gerais sofrem menos, na teoria, porque a emissora já pagou a cota integral para esses estaduais.

Vale ressaltar que executivos da Globo, atendendo a uma questão de alguns clubes, se posicionaram contra a mudança do formato do Campeonato Brasileiro dos pontos corridos para o mata-mata, em razão da projeção de diminuição de datas. A Turner, que tem direitos de jogos do Brasileirão na TV paga, também não deseja a mudança de formato de competição. Ao todo, essas empresas injetam R$ 1,8 bilhão no Brasileiro, combinando TV aberta, TV paga e pay-per-view.

Veja também

Fernando de Noronha realiza o primeiro salvo-aéreo noturno para transferir paciente com Covid-19
Modernização

Noronha realiza o primeiro salvo-aéreo noturno para transferir paciente com Covid-19

Pedre e noivos são presos em casamento que quebrou regras da quarentena no Chile
QUARENTENA

Pedre e noivos são presos em casamento que quebrou regras no Chile