Governador precisa rever sua relação com a Alepe

Muitos deputados governistas não criticam o governo por apreço à figura do governador

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

Rodrigo Novaes (PSD) e Claudiano Martins Filho (PP) não são os únicos deputados estaduais insatisfeitos com alguns secretários do governo Paulo Câmara. Muitos outros parlamentares da base governista também reclamam do tratamento que lhes dispensam os secretários Nilton Mota (Casa Civil) e Sebastião Oliveira (Transportes), mas evitam reclamar em público para não desgastar o governador. Em relação ao primeiro, acusam-no de não dar retorno a ligações telefônicas e de ser “excessivamente lento” nas respostas às demandas dos parlamentares. Quanto ao segundo, é acusado de não conceder audiência aos deputados, de ignorar completamente a Assembleia Legislativa, apesar de já ter feito parte dela, e de ser inoperante no comando da pasta. As críticas servem de alerta ao governador para rever a forma de relacionar-se com sua base política de sustentação, dado que estamos em ano eleitoral e parlamentares contrariados sempre arranjam um jeito de vingar-se daqueles que os contrariam. O governador pode conferir o alarmante grau de insatisfação na sua bancada com uma simples conversa com o líder do governo, Isaltino Nascimento, que tem se esforçado para que os pleitos dos colegas sejam atendidos, mas às vezes esbarra na falta de colaboração de alguns secretários.

Não há dinheiro
O ex-deputado José Marcos esteve recentemente com o secretário Sebastião Oliveira (ambos pertencem ao PR) para queixar-se do péssimo estado em que se encontra a rodovia que liga São José do Egito a Ouro Velho (PB), de 30 km de extensão. O secretário disse ao correligionário que tem conhecimento do problema, mas não pode fazer nada “porque não há dinheiro”.

Sob ameaça > Cálculos feitos ontem no “buraco frio” da Assembleia Legislativa estimam que 7 dos 14 deputados estaduais do PSB não deverão ser reeleitos. Por essas mesmas contas, pelo menos 10 dos 49 parlamentares irão trocar de partido até 7 de abril próximo.

Ficha limpa > João Paulo (PT) perdeu a chance de ser vice na chapa de Paulo Câmara (PSB) por ter sido condenado ontem pela 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça a 3 anos e 2 meses de reclusão. Vai recorrer da decisão, mas pela Lei da Ficha Limpa já está inelegível.

Boa gestão > Encontraram-se anteontem no Recife os prefeitos Adelmo Moura (PSB-Itapetim) e Bruno Pereira (PTB-São Lourenço da Mata). O 1º, que é prefeito pela 4ª vez, relatou para o 2º, que cumpre o 1º mandato, como deveria proceder para realizar uma boa gestão.

Na dúvida >
Correligionários do deputado federal Adalberto Cavalcanti (Avante) dizem em Petrolina que ele reexamina a hipótese de não se candidatar à reeleição, e sim a deputado estadual, pela impossibilidade de repetir a votação obtida em 2014: 99.912 votos.

Novo par > Aglailson Júnior (PSB), prefeito de Vitória de Santo Antão, vai lançar o filho, Aglailson Victor, para deputado estadual, possivelmente pelo PP, onde teria mais chance de vitória. Se sua opção partidária realmente for esta, ele fará dobradinha com Eduardo da Fonte PP) e não mais com João Campos (PSB).

Veja também

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer a partir segunda-feira
Coronavírus

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer a partir segunda-feira

DNA das populações da África é mapeado com riqueza inédita
Novo estudo

DNA das populações da África é mapeado com riqueza inédita