Governadores do NE querem reforço de médicos brasileiros sem diploma validado

governadores destacaram que a gravidade do momento exige medidas para ampliar o quadro de médicos do país

Rui Costa (PT), Governador da BahiaRui Costa (PT), Governador da Bahia - Foto: Manu Dias/Governo da Bahia/Flickr

Os governadores dos nove estados do Nordeste solicitaram ao ministro da Saúde, Nelson Teich, que autorize a atuação dos cerca de 15 mil médicos brasileiros que cursaram medicina no exterior, mas não tiveram seus diplomas validados no Brasil, durante a pandemia do novo coronavírus.

Em carta enviada ao ministro, os governadores destacaram que a gravidade do momento exige medidas para ampliar o quadro de médicos do país, garantindo a assistência à saúde aos brasileiros.

Esses profissionais seriam integrados ao Sistema Único de Saúde e passariam por um processo de validação dos diplomas por meio de programas de complementação curricular e avaliação na modalidade ensino-serviço, com o apoio de universidades públicas federais e estaduais.

Leia também:
Começam, neste terça, as inscrições para a contratação de 40 médicos
Empresários do Nordeste se reúnem com Paulo Guedes


"Precisamos muito desta mão de obra de médicos. Nesta escassez que nós temos, e vamos ter ainda mais, é um reforço importantíssimo", afirmou o governador da Bahia, Rui Costa (PT), presidente do Consórcio Nordeste.

A medida foi adotada por sugestão do Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Nordeste, formado por pesquisadores que estão dando apoio aos governos estaduais durante a pandemia, que externou a preocupação de uma possível escassez de profissionais de saúde durante a pandemia.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Vacina contra a Covid-19: veja os mitos e verdades sobre o imunizante
Saúde

Vacina contra a Covid-19: veja os mitos e verdades sobre o imunizante

Professores e candidatos avaliam primeiro dia do Enem: "Correspondeu às expectativas"
Educação

Professores e candidatos avaliam primeiro dia do Enem: "Correspondeu às expectativas"