MUNDO

Governo australiano descarta encontrar sobreviventes de acidente de helicóptero militar

Aeronave com quatro tripulantes caiu no mar durante exercícios militares

Helicóptero da Marinha Real Australiana participa de operações de busca e resgate nas proximidades da Ilha Lindeman, em Queensland Helicóptero da Marinha Real Australiana participa de operações de busca e resgate nas proximidades da Ilha Lindeman, em Queensland  - Foto: Australian Defence / AFP

As autoridades australianas não têm esperança de encontrar sobreviventes de um helicóptero que caiu no mar durante exercícios militares, no fim de semana, disse o ministro da Defesa australiano, Richard Marles, nesta segunda-feira.

Segundo Marles, as equipes de resgate, inicialmente, se agarraram às poucas chances de encontrar os tripulantes com vida, mas após a descoberta de "restos importantes" do aparelho, isso foi descartado.

A aeronave fazia parte de um exercício de grande escala, envolvendo um total de 30 mil militares de Austrália, Estados Unidos e outros países.

A aeronave mergulhou na água perto das Ilhas Whitsunday, durante uma operação noturna.

– Foi um impacto catastrófico, e é por isso que agora estamos passando de uma atividade de busca e resgate para uma atividade de recuperação – disse Marles a repórteres.

Militares de pelo menos três países se juntaram às buscas pela tripulação do helicóptero MRH-90 Taipan, que caiu na noite de sexta-feira, em águas subtropicais na costa nordeste do país.

– A perda desses quatro homens é tão importante e significativa quanto a perda de qualquer um que vestiu o uniforme de nosso país – disse Marles.
 

A frota australiana de mais de 40 desses helicópteros Taipan – que devem ser retirados de serviço no fim de 2024 – ficará em terra até que os investigadores descubram o que causou o acidente, acrescentou Marles.

As autoridades australianas já haviam reclamado dos Taipans construídos na Europa, citando dificuldades com manutenção e peças sobressalentes.

Este ano, toda a frota foi paralisada após uma dessas aeronaves ter apresentado falha no motor durante treinamento.

O chefe da Força de Defesa, general Angus Campbell, disse que as autoridades farão todo o possível para encontrar os corpos e recuperar os restos mortais.

– Este esforço vai continuar – disse ele. – Traremos nossos camaradas de volta para suas famílias e regimentos.

Campbell acrescentou que as operações para encontrar os quatro homens foram dificultadas por "fortes correntes e marés", acrescentando que equipamentos de sonar foram usados para encontrar os destroços.

Veja também

Acidente de ônibus deixa ao menos 21 mortos e 50 feridos na Caxemira indiana
Índia

Acidente de ônibus deixa ao menos 21 mortos e 50 feridos na Caxemira indiana

Comunidade LGBTQIA+ enfrenta "aumento alarmante" nas restrições à liberdade de expressão, diz ONG
DIREITOS HUMANOS

Comunidade LGBTQIA+ enfrenta "aumento alarmante" nas restrições à liberdade de expressão, diz ONG

Newsletter