Governo de Pernambuco inicia distribuição do Cartão de Alimentação para alunos da Rede Pública

Cada família tem direito a apenas um cartão; o valor total disponível será equivalente ao número de filhos matriculados na rede pública

Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) Professora Amarina Simões, em PaulistaEscola de Referência em Ensino Médio (Erem) Professora Amarina Simões, em Paulista - Foto: Google Street View / Reprodução

A distribuição do Cartão de Alimentação Escolar para as famílias dos estudantes da rede de ensino estadual tem início nesta segunda-feira (20). A entrega será feita somente aos responsáveis dos alunos. De acordo com a Secretaria de Educação de Pernambuco, os estudantes não devem ir à escola com o objetivo de evitar aglomerações.

Para receber o benefício, é preciso que o responsável do beneficiado apresente documento de identificação com foto. A distribuição inicia no Recife, onde ocorre até a terça-feira (21), e depois segue para os municípios da Zona da Mata, nos dias 22 e 23 de abril, e para as cidades do Agreste e do Sertão, nos dias 23 e 24. Cada família tem direito a apenas um cartão. O valor total disponível será equivalente ao número de filhos matriculados na rede pública.

As escolas vão iniciar a distribuição a partir das 8h, sempre ocorrendo em dois dias, conforme região de localização da escola, seguindo um cronograma determinado pela Secretaria. No primeiro dia, a entrega será aos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), do Projeto Travessia e de outras modalidades especiais, além dos 6º e 9º anos do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio. O segundo dia será reservado às famílias dos estudantes que cursam os 7º e 8º anos do Fundamental e 2º e 3º anos do Médio. Os horários para os pais se dirigirem à unidade serão divididos por turma e podem ser consultados no site da Secretaria.

Leia também:
Professores da Rede Técnica Estadual recebem capacitação sobre educação pós-pandemia
SESI-PE oferece cursos EAD gratuitos


O repasse da verba de R$ 50 no cartão beneficiará, ao toto, 240 mil estudantes em maior situação de vulnerabilidade e que dependem da merenda fornecida na escola para se alimentar. Com orçamento total de R$ 12 milhões, de acordo com o Governo do Estado, a iniciativa tem como base os dados das famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal.

As famílias também receberão uma lista com recomendações que sobre os alimentos que devem e não devem ser comprados. O documento elaborado pela equipe de Alimentação Escolar e Nutrição da Secretaria de Educação e Esportes considera os parâmetros nutricionais e os alimentos que compõem a merenda dos estudantes. Também está disponível no site da Secretaria a consulta dos estudantes beneficiados e da rede do Cartão Alelo, que contempla mais de 9.300 estabelecimentos credenciados em todas as regiões do Estado.

Veja também

Nove ex-ministros do Meio Ambiente pedem que europeus ajudem Amazônia na pandemia

Nove ex-ministros do Meio Ambiente pedem que europeus ajudem Amazônia na pandemia

Governo brasileiro impede entrada de estrangeiros no país por terra e água
Restrição

Governo brasileiro impede entrada de estrangeiros no país por terra e água