PERNAMBUCO

Aumento exponencial na busca por leitos faz Pernambuco investigar se há nova variante no Agreste

O governador Paulo Câmara informou que o Ministério da Saúde já foi acionado

Governador Paulo Câmara durante lançamento do 4º Edital do programa Força LocalGovernador Paulo Câmara durante lançamento do 4º Edital do programa Força Local - Foto: Aluísio Moreira/SEI

O Agreste de Pernambuco entra, nesta quarta-feira (26), em uma nova fase de medidas restritivas mais rígidas para conter o avanço da pandemia. Nessa terça (25), o governador Paulo Câmara e o secretário estadual de Saúde, André Longo, revelaram que está sendo investigada a possibilidade de haver uma nova variante do coronavírus na região.

De acordo com Câmara, o Ministério da Saúde já foi acionado para prestar apoio nas investigações. “Pedimos um amplo processo de testagem em toda a região Agreste para verificarmos se há uma nova variante em circulação. Algumas amostras coletadas já foram para laboratórios e, nos próximos dias, teremos essas informações”, disse.

Devido aos altos índices de contágio, as solicitações por leitos hospitalares aumentou na região. “O que está acontecendo no Agreste, neste momento, é uma alta transmissão. E, em virtude disso, um crescimento exponencial da procura por leitos de enfermaria e, principalmente, de UTI. Estamos trabalhando na abertura de mais leitos, na busca de medidas restritivas que possam diminuir a velocidade de transmissão do vírus”, acrescentou o governador.

O secretário André Longo também reforçou o alerta para a aceleração dos casos de Covid-19: “Há uma saturação da nossa rede assistencial, já transbordando para outras macrorregiões. A fila tem sido crescente e bastante preocupante. Com esses dados, nós passamos a trabalhar com a possibilidade de uma nova variante do Agreste, tendo em vista a rápida transmissibilidade do vírus”.

Para o titular da pasta de Saúde, o Estado passa pelo pior momento da pandemia: “Temos que trabalhar de mãos dadas para melhorar o nosso comportamento social, salvando todas as vidas possíveis. Ainda não aprendemos a conviver com esse vírus e precisamos reverter essa situação, [com o apoio do] poder público, empresariado e população em geral”, enfatizou.   

Apoio dos prefeitos
Os dados sobre a possível nova variante foram detalhados durante reunião  promovida pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), por videoconferência, com prefeitos do Agreste. O encontro também contou com a presença da vice-governadora Luciana Santos, dos secretários estaduais Alexandre Rebelo (Planejamento e Gestão) e Antonio de Pádua (Defesa Social), e do procurador-geral do Ministério Público de Pernambuco, Paulo Augusto Freitas. 

As medidas mais restritivas seguem na região até o dia 6 de junho. Neste período, apenas atividades liberadas pelo decreto publicado nesta terça pelo Governo do Estado, que incluem clínicas, farmácias e postos de gasolina, poderão funcionar. As novas regras valem tanto de segunda a sexta quanto aos fins de semana.

De acordo com o presidente da Amupe, José Patriota, os prefeitos da região concordam e apoiam as novas determinações. “Fazemos um apelo a todos os segmentos para que, em defesa da vida, possamos ficar esses 15 dias de forma remota e sem aglomerações. Estamos vivendo um momento difícil, onde os números mostram o dobro do que já aconteceu. Precisamos da compreensão e cooperação de todos”, comentou.

Veja também

ONU envia casas modulares para vítimas de enchentes no Rio Grande do Sul; veja como são moradias
AJUDA

ONU envia casas modulares para vítimas de enchentes no Rio Grande do Sul; veja como são moradias

Pernambuco é o único estado do Brasil a reduzir o desmatamento da Caatinga
Meio Ambiente

Pernambuco é o único estado do Brasil a reduzir o desmatamento da Caatinga

Newsletter