BRASIL

Governo de São Paulo estuda liberação do uso de máscaras ao ar livre na próxima semana

O uso obrigatório do item de prevenção à Covid é determinado por decreto estadual, atualmente em vigor até 31 de março

São Paulo São Paulo  - Foto:

O governo de São Paulo estuda flexibilizar o uso de máscaras, e a liberação pode ser anunciada já no início da próxima semana, após reunião do grupo de especialistas que assessora o estado no combate à pandemia.

O chamado comitê científico tem uma reunião na próxima terça-feira, e a expectativa é que a decisão sobre o tema seja tomada nesse encontro. Porém, uma eventual flexibilização valeria neste momento apenas para o uso de máscaras em locais abertos.

O uso obrigatório do item de prevenção à Covid é determinado por decreto estadual, atualmente em vigor até 31 de março.

Nesta quinta-feira, o governador de São Paulo, João Doria, admitiu que há “uma boa tendência” de flexibilização e que aguarda posicionamento do comitê científico, responsável pela aprovação prévia e decisões na área da Saúde e combate à pandemia.

— Reproduzimos o que eles decidem, e por isso não é possível anunciar taxativamente a medida de liberação de máscaras ao ar livre. Mas diria que há uma boa tendência, uma boa indicação — disse Doria.

Nos bastidores, a expectativa do governo é que se mantenha a queda nos indicadores de casos, hospitalizações e mortes, depois do aumento expressivo de infecções derivado da variante Ômicron.

Em novembro do ano passado, o governo paulista chegou a anunciar uma flexibilização no uso de máscaras que valeria a partir de 11 de dezembro, mas teve de voltar atrás diante do recrudescimento da pandemia no estado e no país como um todo.

Desta vez, com o avanço da vacinação e a diminuição dos contágios - que se espera que continuem em queda mesmo após as aglomerações registradas no carnaval -, a expectativa é que a utilização das máscaras ao ar livre possa ser dispensada.

Na mesma reunião do comitê da próxima semana também deve ser tratada a liberação do uso de máscaras em escolas do estado. Não há previsão ainda, porém, sobre flexibilização do item dentro das salas de aula.

— Realmente estamos discutindo e observando a tendência em todo o mundo — disse o secretário da Educação, Rossieli Soares. — Obviamente nossa prioridade é nunca colocar em risco o fechamento de escolas. Portanto, o comitê científico que tem discutido o tema ainda não tomou a decisão. Vamos voltar a discutir na semana que vem, mas talvez não seja o momento agora da retirada de máscaras, especialmente dentro das salas de aula. Mas há uma discussão em relação a isso especialmente em espaços abertos, fazer algo gradual, até para que possamos observar outras influências nesse momento.

No mesmo tom, o secretário da saúde, Jean Gorinchteyn, defende "formas de retiradas graduais" e afirma que qualquer anúncio sobre flexibilização no uso de máscaras será feito "no momento certo, na hora certa".

Em nota, a Secretaria de estado da Saúde afirma que "toda e qualquer medida adotada no estado para enfrentamento da pandemia é precedida por análises técnicas junto ao Comitê Científico".

E reforça que, por enquanto, "permanece vigente o decreto de obrigatoriedade do uso de máscaras para prevenção da Covid-19 no estado de São Paulo, com o objetivo de aumentar a segurança dos paulistas.".

Na última quarta-feira, o estado ultrapassou a marca de 100 milhões de doses de vacina contra Covid-19 aplicadas. São Paulo tem hoje 82,5% da população com esquema vacinal completo.

Veja também

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle
Família real

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid
Negacionismo

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid