Coronavírus

Governo de SP diz que não vai participar de pesquisa com vacina russa contra coronavírus

Governo russo afirma que a produção em massa da vacina deve começar em setembro de 2020

Produção de vacina contra a Covid-19Produção de vacina contra a Covid-19 - Foto: Douglas Magno/AFP

O governo do estado de São Paulo disse que não deve participar da pesquisa ou da produção de uma vacina produzida pela Rússia, a primeira a ter um certificado de registro, anunciado nesta terça-feira (11).

"O Instituto Butantan foi procurado pelo governo russo para participar da produção de uma vacina contra o coronavírus desenvolvida no país. Contudo, o instituto já está totalmente empenhado na pesquisa da CoronaVac, da farmacêutica Sinovac Biotech", diz a nota do governo do estado.

"Por isso, não faria sentido participar de uma outra pesquisa com o mesmo objetivo e dividir seus esforços", continua o texto.
Atualmente, o Butantan realiza testes clínicos (em humanos) de fase 3 da vacina chinesa em voluntários do Brasil. A Sputnik V, como é chamada a nova vacina russa, foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleia, ligado ao Ministério da Saúde russo. Segundo o site do produto, os ensaios clínicos da fase 1 e 2 foram concluídos no início de agosto.

Um estudo clínico de fase 3, o mais demorado, deve começar na quarta-feira (12) de agosto com cerca de 2.000 pessoas na Rússia, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e ainda países da América Latina, diz a página de internet. O desenvolvimento de uma vacina pode levar vários anos, e sua aprovação vem, geralmente, somente após a conclusão de todas as fases de testes previstas em animais e em humanos.

O governo do estado do Paraná anunciou que deve assinar um acordo na quarta-feira (12) com o governo russo para a produção da vacina. Em entrevista para a TV nesta terça-feira (11), o presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Jorge Callado, disse que é possível que uma terceira fase de testes clínicos com a imunização russa seja feita no Brasil.

O anúncio da aprovação da vacina russa trouxe desconfiança para a comunidade científica internacional. Nenhuma das fases de pesquisa teve seus resultados publicados para apreciação de outros pesquisadores da área, contrariando prática comum no meio científico.

O governo russo afirma que a produção em massa da vacina deve começar em setembro de 2020.

Veja também

Acidente na Avenida Boa Viagem deixa feridos neste domingo (20)
Recife

Acidente na Avenida Boa Viagem deixa feridos neste domingo (20)

Saga do TikTok pode chegar ao fim com acordo envolvendo Oracle e Walmart
Aplicativo

Saga do TikTok pode chegar ao fim com acordo envolvendo Oracle e Walmart