Governo e PCR pedem à Justiça retirada de caminhões-cegonha do Centro do Recife

Ação está na 8ª Vara da Fazenda Pública da Capital e deve ser analisada nesta quarta (9). Veículos estão no local desde 31 de julho

Caminhões-cegonha estacionados no Centro do RecifeCaminhões-cegonha estacionados no Centro do Recife - Foto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

As procuradorias gerais de Pernambuco e do Recife, junto com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), entraram com uma ação na Justiça para pedir a retirada de dezenas de caminhões-cegonha que ocupam de forma irregular ruas e pontes do Centro do Recife desde o dia 31 de julho. O processo, entregue na segunda-feira (7), foi distribuído nesta terça (8) para a 8ª Vara da Fazenda Pública da Capital. A expectativa é que o juiz Lúcio Grassi faça a análise do pedido nesta quarta (9).

Cerca de 50 caminhões-cegonha ocupam o Centro da cidade. Alguns estão, por exemplo, na avenida Martins de Barros, entre o Fórum Thomaz de Aquino e a ponte Buarque de Macedo, próximo ao Palácio do Governo. A via tem placas de estacionamento proibido. Pela manhã, a reportagem flagrou, inclusive, veículos parados ao redor da Praça da Republica e nas pontes Buarque de Macedo e Princesa Isabel, o que também não é permitido.

A Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) disse que, neste momento, o foco não é notificar os manifestantes, mas monitorar e auxiliar o tráfego na área, realizando desvios quando necessário. A reportagem perguntou se algum motorista foi multado, mas a CTTU disse que ainda não tem este levantamento.

Os motoristas dos caminhões-cegonha, liderados do Sindicato dos Transportadores de Veículos e Congêneres de Pernambuco (Sintraveic-PE), estão estacionados no Centro em protesto contra a contratação de profissionais de outros estados para fazer o escoamento da produção da montadora Jeep-Fiat, em Goiana, na Mata Norte do estado.

Veja também

Governo Bolsonaro ignorou alertas sobre a falta de oxigênio em Manaus
Pandemia

Governo Bolsonaro ignorou alertas sobre a falta de oxigênio em Manaus

Vacinação pode começar com Coronavac, imunizante que Bolsonaro afirmava que não compraria
Brasil

Vacinação pode começar com Coronavac, imunizante que Bolsonaro afirmava que não compraria