Notícias

Governo “enquadra” as Associações dos Militares

Decisão do Governo do Estado de não negociar reajuste de soldo com associações dos militares até agora deu resultado

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

Sem fazer barulho, o governador Paulo Câmara conseguiu “enquadrar” as associações que representam os policiais e bombeiros militares, excluindo-as da mesa de negociação sobre o reajuste dos soldos das duas categorias. Antes, essas entidades costumavam encurralar os próprios chefes militares, como fizeram nos governos de Miguel Arraes, Jarbas Vasconcelos e João Lyra Neto, em que a radicalização terminou em greve.

Agora,o atual governo decidiu que não mais negociaria com as associações, e sim com os comandos das duas instituições (Polícia Militar e Corpo de Bombeiros), tendo tomado também outras providências para evitar que chegue por aqui o mesmo “motim” que está existindo no Espírito Santo. Com base na Constituição que veda ao militar o direito à sindicalização e à greve, o governo ameaça ir à Justiça contra qualquer tipo de insubordinação e pelo menos até agora a estratégia deu certo.

Decisão do Governo do Estado de não negociar reajuste de soldo com associações dos militares até agora deu resultado

Do céu ao inferno
Há menos de um mês, o sistema carcerário do ES foi apresentado aos brasileiros como o mais eficiente do país porque há cerca de 2 anos não registra um só assassinato em seus presídios. Mas aí veio o “aquartelamento” dos policiais militares, que dizem estar sem reajuste de salário desde 2010, e o noticiário virou pelo avesso. A capital, Vitória, entregue literalmente aos bandidos desde a última 6ª feira.

Porta-voz > Como porta-voz do ministro Bruno Araújo (Cidades) na Assembleia Legislativa, o deputado Álvaro Porto (PSD) não deixará sem resposta nenhuma crítica feita ao tucano, nem qualquer tentativa de agentes políticos do Governo do Estado de ignorar o que a pasta dele está fazendo por Pernambuco.
Província > Ciente de que é ministro da Cultura “do Brasil”, e não de PE, Roberto Freire tem tido cuidado para não castigar nas tintas em favor do seu Estado para não ser chamado de “provinciano”.
40 anos > Há exatos 40 anos, o ex-deputado Ivo Amaral assumiu pela 1ª vez a prefeitura de Garanhuns e muitos dos seus ex-secretários ainda estão vivos, entre eles José Tinoco e João Inocêncio.

Pedido > Partiu do deputado Joel da Harpa (PTN) o pedido feito ao Governo do Estado para obrigar os membros da Associação dos Cabos e Soldados a pagarem na sede da entidade as suas contribuições.
Atraso > Preocupa o superintendente regional do Trabalho, Geovane Freitas, o fato de a PCR e o Governo do Estado estarem há cinco meses sem pagar às empresas terceirizadas que atuam nos setores de vigilância, conservação e limpeza porque isso poderá ampliar a taxa de desempregados em Pernambuco.

Carnaval > A prefeitura de Bezerros tranquiliza os foliões que pretendem ir àquele município brincar o carnaval. A Compesa montou um esquema especial para garantir o abastecimento d’água durante os quatro dias de folia e dará uma solução definitiva ao problema com a construção de uma nova adutora.
Conselho > Pedro Eurico vai para o lugar do também pernambucano Marcellus Ugiette no Conselho Nacional de Política Penitenciária, que é órgão de assessoramento ao Ministério da Justiça. Quinze dias atrás, Ugiette e mais seis colegas abandonaram os cargos que tinham no colegiado alegando que ele não se reuniu uma única para discutir a crise no sistema carcerário do país. Mas Pedro é mais falante e mais articulado, e talvez o bote para funcionar.

Veja também

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas
Pandemia

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas

Marcha da maconha retorna às ruas depois de dois anos de pandemia
Manifesto

Marcha da maconha retorna às ruas depois de dois anos de pandemia