Governo fecha primeiro contrato para compra de respiradores brasileiros para pacientes de coronavíru

Empresa, que previa produzir de 400 a 500 aparelhos até o fim do ano, deve entregar 6.000 unidades em 90 dias

Trabalhadores de saúde atuando contra o coronavírus Trabalhadores de saúde atuando contra o coronavírus  - Foto: Tribouillard / AFP

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (8) que fechou o primeiro contrato para a aquisição de respiradores de uma empresa brasileira, a Magnamed.

Os equipamentos, também conhecidos como ventiladores pulmonares, são usados nos casos de pacientes do coronavírus, principalmente os em estado grave.

"Materializamos uma ação que se iniciou há 45 dias, que é fazer a indústria nacional disparar uma produção em tempo reduzido", informou o ministro Luiz Henrique Mandetta.

Leia também:
Governo federal zera imposto de importação de 41 novos itens contra coronavírus
PCR adquire mais de dez mil equipamentos médicos-hospitalares
Brasil bate novo recorde e registra 133 novas mortes por coronavírus; total é de 800


De acordo com o ministro, as operações de compra com fornecedores chinesas continuam complicadas. O governo brasileiro precisou desistir de uma compra de 15 mil equipamentos, pois a empresa do país asiático não deu garantias.

Mandetta acrescentou que a empresa Magnamed possuía capacidade de produzir apenas 400 ou 500 respiradores até o fim do ano.

"Nós a redimensionamos", informou. A previsão agora é que 6.000 respiradores sejam entregues em um prazo de 90 dias pela empresa brasileira.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Preso oficial da reserva da PM suspeito de envolvimento em crimes contra caixas eletrônicos

Preso oficial da reserva da PM suspeito de envolvimento em crimes contra caixas eletrônicos

Codecipe registra seis desalojados e sete desabrigados após chuvas do fim de semana
Chuvas

Codecipe registra seis desalojados e sete desabrigados após chuvas do fim de semana