grécia

Grécia tem retomada parcial do tráfego ferroviário após acidente que matou 57 pessoas

O transporte ferroviário na Grécia é relativamente pouco desenvolvido e inclui apenas 2.100 km de vias

Acidente Trem GréciaAcidente Trem Grécia - Foto: Sakis Mitrolidis/AFP

O tráfego ferroviário na Grécia foi parcialmente retomado nesta quarta-feira (22) em algumas linhas intermunicipais perto de Atenas, após uma paralisação de três semanas devido ao acidente de trem de 28 de fevereiro que matou 57 pessoas.

Os trens de passageiros que ligam Pireu, um grande porto perto de Atenas, ao aeroporto internacional Eleftherios Venizelos (a 40 km da capital), os que circulam entre Atenas e Chalkis (80 km) e duas outras linhas locais ao oeste do Peloponeso voltaram a circular, de acordo com a operadora Hellenic Train.

A linha da colisão frontal entre um trem de passageiros e um trem de cargas no fim de fevereiro só deve retomar as operações no dia 1º de abril, informou o ministro dos Transportes, Georges Gerapetritis.

Esta é a principal linha do país, de 600 km de comprimento, que liga Atenas a Tessalônica, a segunda maior cidade da Grécia, no norte.

O ministro prometeu na semana passada medidas de segurança adicionais, incluindo dois condutores nos trens intermunicipais e "três assistentes, em vez de dois como atualmente, nos trens de passageiros entre Atenas e Tessalônica".

Atribuído a um erro do diretor da estação, o acidente da noite de 28 de fevereiro - o mais grave da história do país - revelou também a negligência do Estado na modernização dos sistemas de segurança dos trens.

O transporte ferroviário na Grécia é relativamente pouco desenvolvido e inclui apenas 2.100 km de vias. Uma grande rede de ônibus liga as principais cidades do país.

Um dia após o acidente, o então ministro dos Transportes, Kostas Karamanlis, renunciou ao cargo.

Veja também

Justiça da Colômbia acusa ex-presidente Uribe de suborno e fraude
america latina

Justiça da Colômbia acusa ex-presidente Uribe de suborno e fraude

Educação midiática é essencial para combater a desinformação
tecnologia

Educação midiática é essencial para combater a desinformação

Newsletter