Grito dos Excluídos mobiliza representantes de igrejas, centrais sindicais e movimentos sociais

O protesto, que é realizado em outras partes do País, teve como intuito a denúncia e manifestação contra desemprego e estagnação econômica, entre outras pautas

Grito dos ExcluídosGrito dos Excluídos - Foto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Com o tema “Este sistema não vale, lutamos por justiça, direitos e liberdade”, a 25ª edição do Grito dos Excluídos mobilizou representantes de igrejas, centrais sindicais, movimentos sociais e pessoas da sociedade civil neste feriado da Independência, 7 de setembro, no Centro do Recife. A manifestação se concentrou na Praça do Derby e seguiu em passeata por um dos trechos da Avenida Agamenon Magalhães. O arcebispo de Recife e Olinda, Dom Fernando Saburido, participou do ato.

O protesto, que é realizado em outras partes do País, teve como intuito a denúncia e manifestação contra desemprego e estagnação econômica, entre outras pautas. Houve a concentração de estudantes, movimentos e feministas, na Praça do Derby, às 8h.

O coordenador geral do evento, Marcos Silvestre, enfatizou a importância do Grito para o momento do Brasil. “Mais do que nunca, é necessário que a população venha se expressar nas ruas e dizer que esse sistema que nós vivemos não vale. É um sistema que gera degradação ambiental, injustiça e ataques aos direitos humanos. É por isso que estamos nas ruas do Recife e de outras cidades do País”, afirmou.

Leia também:
Bolsonaro abre desfile da Independência com Silvio Santos e Edir Macedo
Desfile celebra 197 anos de independência do Brasil

Depois da concentração o Grito seguiu em passeata pela Agamenon Magalhães no sentido Derby/Olinda, fazendo volta em frente ao Hospital da Restauração. No local, os militantes fizeram um protesto em defesa da saúde pública e dos profissionais que atendem à rede. Após a breve parada, o ato seguiu em direção ao local de concentração. Durante os protestos, houve um esquema de segurança e de trânsito, com a presença da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE).

A manifestação é realizada desde 1995, a partir do surgimento na Igreja Católica. Conta também com a adesão de movimentos sociais e sindicais. O intuito é de ser um contraponto à marcha da Independência e dar visibilidade aos grupos excluídos da sociedade e suas pautas.

Veja também

Elefanta indiana viaja mais de mil quilômetros até Santuário de Elefantes do Brasil
Natureza

Elefanta indiana viaja mais de mil quilômetros até Santuário de Elefantes do Brasil

Bolsonaro nunca aceitou ver a realidade, afirma Mandetta
Governo

Bolsonaro nunca aceitou ver a realidade, afirma Mandetta